Carnaval do Huambo pronto para o desfile

Edson Fontes | Caxito e Estácio Camassete | Huambo
27 de Janeiro, 2015

Fotografia: Paulino Damião

O atraso na entrega de material e o apoio financeiros aos grupos carnavalescos na província do Bengo, por parte da comissão provincial do Carnaval e da Direcção Provincial da Cultura, está a preocupar os responsáveis.

António Gonçalo, presidente do grupo Maringa do Caboxa Bulambunda, disse ao Jornal de Angola que em termos de apoios até ao momento “ainda não recebemos nada” e garantiu que “se dependêssemos da ajuda das autoridades da Cultura o colectivo não saía à rua para desfilar este ano. Mas como temos paixão pela cultura,  não podemos deixar morrer esta actividade”.
Assegurou que “tudo foi feito pelo nosso esforço, fizemos contribuições com os dançarinos, juntando com os valores dos prémios passados e das actividades em que participamos. O grupo infantil Bulanbunda sagrou-se primeiro classificado na edição passada e com o valor do prémio conseguimos resolver alguns dos nossos problemas”.
O presidente do Maringa do Caboxa Bulambunda garantiu que da parte do grupo tudo está pronto, desde a coreografia à indumentária, uma vez que este ano, ao contrário da edição anterior, o desfile vai ter carácter competitivo.
António Gonçalo disse que todos os anos, os grupos carnavalescos da província criam novas canções para a competição e que este ano não foge à regra: “Temos muita vontade de participar no Carnaval, só que nos últimos anos os gastos que fizemos não compensam em relação aos prémios atribuídos, o que desmotiva os grupos. Se continuarmos assim, o nosso Carnaval corre o risco de desaparecer. Já houve épocas em que a província do Bengo era representada somente por três ou quatro grupos, pedimos que aumentem o valor dos prémios como forma de incentivar os grupos a participarem na festa”, disse.
O grupo Maringa do Caboxa Bulambunda é composto por 450 integrantes, dos quais 250 infantis e 200 adultos.

Tatula do Quicabo


Lager Maria, a representante dos grupos carnavalescos Rainha Nginga Mbandi, Tatula Kia do Quicabo e Ngola Mbandi disse que está “a afinar a máquina”, desde a coreografia, passando pelas canções e culminando nos pormenores técnicos, com vista a “uma participação brilhante” neste edição do Carnaval.
Em termos da indumentária, os membros dos grupos estão a dar os últimos acertos de para atingir os objectivos, que é alcançar os lugares cimeiros da classificação geral, tendo lamentado o facto de até ao momento não terem recebido qualquer apoio da comissão organizadora ou da Direcção Provincial da Cultura.
Os três grupos sob comando de Lager Maria são compostos por 100 elementos cada.
O director da Cultura no Bengo, Moisés Kafala, afirma ter já em posse todo o material para as indumentárias dos grupos, distribuídas pela Comissão Organizadora Nacional do Carnaval, pelo que “dentro em breve a comissão preparatória provincial vai fazer a sua distribuição, à semelhança dos anos anteriores”.

Mobilização no Huambo


No Huambo, 36 grupos carnavalescos, entre adultos e infantis, estão inscritos na Direcção da Cultura para participarem no Carnaval, cujos desfiles vão ter lugar entre os dias 15 e 17 de Fevereiro, no Largo Saidy Mingas.
O director Provincial da Cultura, Pedro Nambongue Tchissanga, esclareceu que os grupos locais estão divididos em três classes:  oito vão competir na classe A, 13 grupos tradicionais na classe B, e 15 infantis, na classe C. Este ano háinovações na forma de exibição e apresentação dos grupos no desfile, destacando sempre os hábitos e os costumes da região do Planalto Central.
Além do desfile provincial, prosseguiu, são realizados em todas as sedes municipais da província desfiles carnavalescos nos dias 7 e 8 de Fevereiro, para o apuramento dos grupos que vão participar no desfile central no dia 15 de Fevereiro na Largo Saidy Mingas, na cidade do Huambo.
Na edição anterior sagrou-se vencedor o grupo carnavalesco do Instituto Superior Politécnico do Huambo, que recebeu como prémio 1.700.000 kwanzas, seguido do grupo das Artes, e em terceiro ficou o grupo União Velha Guarda.
Na classe tradicional, o grupo carnavalesco Essandjo Lyowiñgui, do município do Huambo, ficou na primeira posição, tendo recebido como prémio 800.000 kwanzas, enquanto na classe infantil, o grupo Fogo da Paz, do município da Chicala Cholohanga, foi o grande vencedor e recebeu como prémio a quantia de 900.000 kwanzas.
Pedro Nambongue Tchissanga disse que os valores dos prémios continuam a ser os mesmos: o vencedor da classe A recebe 1.700.000 kwanzas, o da classe B 800.000 kwanzas e o da C um prémio de 900.000 kwanzas.
O director da Cultura referiu que a província do Huambo tem o segundo melhor Carnaval do país, depois de Luanda. Pedro Nambongue Tchissanga garantiu igualmente que está tudo a posto para o desfile.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA