Cultura

Casa-museu de Neto em risco de desabar

A casa-museu Agostinho Neto, na cidade do Luena, Moxico, corre o risco de desabar caso não beneficie, ainda este ano, de obras de restauro, constatou, ontem, a Angop.

Fotografia: DR

Localizada no bairro Mandembué, arredores da cidade do Luena, a casa, considerada um marco histórico da província por ser o local onde se hospedava o primeiro Presidente de Angola quando ia para o Moxico, precisa de toda a atenção.
O espaço apresenta roturas no tecto, assim como fissuras nas paredes. Um dos maiores perigos para a casa-museu tem sido a chuva, que aumenta ainda mais a ameaça de desmoronamento. Apesar de ser designada casa-museu, o local está praticamente abandonado, por falta de uma estrutura responsável pela sua gestão.
O governador da província, Gonçalves Muandumba, manifestou, numa visita realizada em Julho ao espa-ço, o desejo de reabilitar a casa-museu e a transformar num local para a realização de debates e de lazer da juventude.
O administrador do município do Luena, Valdemar Salomão, também já chamou a atenção para a importância da reabilitação da casa-museu, devido ao seu valor histórico e cultural, por ser parte das crónicas da luta de libertação nacional. Membros da antiga Comissão Directiva do MPLA na clandestinidade confirmam que Agostinho Neto se havia hospedado na casa nas deslocações realizadas em 1974 à cidade do Luena, vindo do Lunhamege.
Médico, escritor e também político, António Agostinho Neto foi o primeiro Presidente de Angola.

Tempo

Multimédia