Casa dos Estudantes distingue angolanos


29 de Outubro, 2014

Fotografia: DR

A União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA) homenageou ontem, em Coimbra, os alunos da antiga Casa dos Estudantes do Império, entre os quais os angolanos Agostinho Neto, Pepetela, Rui Mingas e Manuel Rui Monteiro.

Pela Casa dos Estudantes do Império passaram nomes incontornáveis das lutas de libertação como Agostinho Neto, Amílcar Cabral e Joaquim Chissano.
O escritor Pepetela disse que foi em Portugal que estes jovens africanos começaram a conhecer as suas origens, “aprendemos bastante sobre a nossa cultura e história. Começamos a ter uma ideia geral do que era o conjunto das colónias portuguesas”.
Criada pelo regime de Salazar em 1943, mas só formalmente instituída no ano seguinte, a Casa dos Estudantes do Império, que funcionava em Lisboa e em Coimbra, pretendia reforçar a “mentalidade imperial e o sentimento da portugalidade entre os estudantes das colónias”.
Pouco depois da sua criação, a Casa passou a assumir-se como espaço de crítica à ditadura e à colonização e de valorização das culturas dos povos colonizados, acabando por ser encerrada, em 1965, pela polícia política do regime (PIDE). Alguns dos dirigentes dos movimentos de libertação das antigas colónias portuguesas e intelectuais desses países que passaram pela Casa dos Estudantes do Império participaram na homenagem, que teve início, com um colóquio, em Coimbra, no dia 21 de Outubro, assinalando os 70 anos da abertura da instituição, e terminam em Lisboa, na Fundação Gulbenkian, em 25 de Maio de 2015, data em que se completam 50 anos do seu encerramento.
Além de colóquios, debates e exposições, a UCCLA também projecta, no âmbito desta homenagem, reeditar todos os livros publicados pela Casa dos Estudantes do Império.
Fundada em Junho de 1985, pelas cidades de Bissau, Lisboa, Luanda, Macau, Maputo, Praia, Rio de Janeiro e São Tomé/Água Grande, a UCCLA, presidida por Vítor Ramalho, vive do co-financiamento dos seus membros e conta com projectos financiados por organizações como o Banco Mundial e a União Europeia.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA