Casas de leilão de Londres preparam vendas


14 de Janeiro, 2015

Fotografia: Divulgação

As duas maiores casas de leilão de Londres, a Christie’s e a Sotheby’s, preparam para Fevereiro mais uma nova grande venda de obras de arte, agora com mais incidência em trabalhos de Monet e pintores surrealistas.

As vendas, a serem realizadas em Londres, já estão a gerar alvoroço nos coleccionadores.
A Sotheby’s anunciou a venda de uma “Vista de Veneza”, de Monet, cujo preço oscila entre os 30 e os 45 milhões de dólares, enquanto a Christie’s espera arrecadar 145 milhões com as obras de arte surrealista, modernista e impressionistas.
As duas casas de leilões privilegiam um mercado de arte que atrai compradores da Ásia, Rússia e Américas, mas apesar disso acredita pode conseguir grandes negócios com clientes tradicionais da Europa e EUA.
A Sotheby’s revelou no seu sit, que pretende aproveitar o amplo interesse mundial por “Le Grand Canal”, pintada em 1908 por Monet, que esteve na The National Gallery, em Londres, de 2006 a 2014. “O mercado para as obras de Claude Monet atingiu agora um pico de força muito alto, com interessados a surgirem de mais países do que há uma década”, explicou Helena Newman, directora mundial de arte impressionista e moderna.
“Dada a raridade da pintura e a sua qualidade excepcional, e o preço de 29 milhões de dólares obtidos com a venda de uma outra pintura do artista, ‘Le Palais Contarini’, que também mostra uma vista de Veneza, acreditamos no êxito deste leilão em Fevereiro”, acrescentou.
A Christie’s, que antes anunciou para o mês de Fevereiro a venda do panorama do Mediterrâneo “Vue sur L’Estaque et Le Chateau D’If”, de Cézanne, por um preço de pré-venda entre 16 e os 22 milhões de dólares, disse que também vai leiloar obras de arte surrealista. Os 36 lotes da casa de leilões incluem “L’oiseau au plumage deploye vole vers l’arbre argente”, de 1953, de Joan Miró, assim como obras de Magritte, Picabia, Arp, Ernst, Tanguy e Dominguez.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA