Cultura

CD “Kolokota” na recta final

Manuel Albano

“Kolokota” é o título do quarto disco de originais de António Paulino, que tem previsões de chegar ao mercado ainda este ano, com temas, cujas letras destacam aspectos culturais da região kimbundu, assim como outros ligados à realidade socio-cultural do país.

Novo disco do cantor tem várias abordagens sociais
Fotografia: Rogério Tuti| Edições Novembro

O disco, cujo título significa “coragem” em português, tem o lançamento adiado há mais de um ano, devido a problemas financeiros. “A crise económica que vivíamos e agora a pandemia da Covid-19, têm sido um empecilho muito grande à produção do CD”, lamentou.

Oito anos depois de “Hima”, o novo CD tem dez temas, cantados em kimbundu, nos estilos rumba, semba e bolero. A maioria deles retratam o quotidiano angolano, o “cartão de visita” oficial do cantor que procura sempre apresentar estilos musicais com características muito próprias.

O cantor garantiu, ontem, que a ideia é apresentar um disco moderno focado nos aspectos da cultura nacional. “Tem um tema dedicado ao meu falecido irmão e conselheiro, Mano João”, disse, acrescentando que “Kolokota” conta com as participações de Proletário e do instrumentista Paulo Paca.

O disco está a ser produzido no país. “O acabamento vai ser em Portugal, mas depende muito da evolução da pandemia. O confinamento social obrigou todos a cancelarem grande parte das actividades”, adiantou.

Paulino António Domingos nasceu em Malanje, na comuna do Quela, em 1954. Iniciou a carreira artística em 1971, quando foi convidado a participar numa das edições dos “Kutonocas”, onde gravou também o primeiro single, que incluía os temas “Joana” e “Balabina”.

Tempo

Multimédia