Célebre artista espanhol lamenta a pouca atenção


8 de Novembro, 2014

O compositor espanhol Jordi Savall disse, ontem, que renunciou ao Prémio Nacional de Música de Espanha, como um protesto contra a falta de apoio das autoridades ao património musical e seus intérpretes.

Depois de ter renunciado a este galardão, na quarta-feira, Jordi Savall disse à imprensa que reiterava as suas críticas ao Governo espanhol em matéria de política cultural. “A Espanha não trata dos seus músicos”, referiu.
Jordi Savall, catalão, justificou a decisão de recusar o Prémio Nacional de Música com o facto de poder dizer em voz alta o que disse toda a vida, ou seja, a falta de atenção para a classe artística. “Isto acontece por ignorância e por falta de interesse.”
“Quando me deram o prémio, primeiro foi uma grande alegria, mas depois pensei: ‘como vou aceitar vindo de pessoas que durante tantos anos se esqueceram?’”, recordou. Jordi Savall lamentou que nos 40 anos de actividade enquanto músico, só apenas uma vez um ministro da Cultura tenha aceitado recebê-lo, garantindo que teve apenas pequenas ajudas durante cinco ou seis anos, para viagens que lhe permitiram levar os seus concertos pelo mundo.
A recusa foi uma decisão difícil, assumiu o compositor, que criticou o total desprezo pela cultura que existe em Espanha e pelo qual sofrem todos os agentes do sector. “É algo muito grave porque, neste momento, se todos os músicos espanhóis, principalmente os de música antiga, dissessem ‘Basta! Vamos fazer outra coisa’, a música espanhola não existia”, lamentou.
Jordi Savall renunciou ao Prémio Nacional de Música, de Espanha, acusando o governo espanhol de irresponsabilidade na defesa da arte. O músico agradeceu o reconhecimento pelo prémio, no valor de 30.000 euros, mas justificou a renúncia como um acto de defesa da dignidade dos artistas, com a expectativa de que a sua decisão possa servir de reflexão, para se pensar e construir um futuro mais esperançoso para os jovens.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA