Centenas de filmes em exibição


17 de Novembro, 2015

Fotografia: AFP

A 26.ª edição das Jornadas Cinematográficas de Cartago começa no sábado com 300 filmes inscritos por 58 países, entre árabes, africanos e de outras partes do mundo que vão ser exibidos em Túnis e em 12 regiões da Tunísia.

O anúncio foi feito ontem pelo director do festival, Brahim Letaief, que afirmou que esta edição respeita o envolvimento do festival no enraizamento do ambiente árabe e africano e na abertura aos novos cinemas e às expressões artísticas novas.
Em conferência de imprensa, Brahim Letaief informou que  concorrem muitos filmes, embora existam outras “manifestações cinematográficas dotadas de orçamentos colossais”, disse o responsável.
Afirmou ser uma honra “para nós realizadores escolhermos o nosso festival para projetarmos os nossos filmes com vista a rivalizar com filmes de alta fatura”.
Acrescentou que o êxito da presenta edição vai fazer publicidade para a edição 2016, que marca a celebração do 50º aniversário das jornadas cinematográficas de Cartago, explicou Letaief, indicando que, além de Túnis, projeções vão feitas em 12 outras cidades no interior do país.
As  jornadas oferecem também uma oportunidade a numerosos prisioneiros de relaxar acompanhando filmes que vão ser projetados em quatro prisões na presença dos seus realizadores.
Relativamente à competição oficial, 17 longas-metragens incluindo filmes projectados pela primeira vez, 12 curtas-metragens e 16 documentários estão programados.
Além dos preços oficiais, a presenta edição vai conceder um prémio em nome da primeira mulher africana realizadora, Safi Faye, criado pelo Centro das Pesquisas e Estudos, de documentação e de informação sobre a mulher com o apoio da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciências e Cultura (UNESCO). No total, 350 convidados vindos de 50 países são aguardados nesta edição, incluindo grandes realizadores árabes e africanos.
Nesta edição, um dos filmes na lista é longa-metragem  “Tombouctou”, do realizador mauritano, Abdelrahman Cissako, lançado em Janeiro e que participou no 67º Festival de Cannes, em França.
As jornadas cinematográficas de Cartago, uma das mais prestigiantes mostras de cinema em África,   passaram, desde o ano passado, num festival anual deixando de ter periodicidade bianual.

Filme sobre Mandela


“Mandela's Gun”, que retrata a vida e o percurso de Nelson Mandela, tem projecção prevista para o início de 2016, anunciou ontem em Argel o ministro argelino da Cultura, Azzeddine Mihoubi, no termo duma reunião com o seu colega sul-africano das Artes e Cultura, Mathi Mthethewa. Esta obra cinematográfica argelino-britânica, realizada pelo Britânico John Ervin, constitui “um testemunho histórico importante porque revela uma etapa da luta de Mandela na Argélia”, acrescentou Azzeddine Mihoubi. O ministro sul-africano das Artes e Cultura, Mathi Mthethewa, congratulou-se com as relações de amizade entre a Argélia e a África do Sul e o papel que desempenham os dois países no plano continental, sublinhando a necessidade de salientar o património cultural dos dois países para os projetos comuns como o filme sobre Mandela.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA