Cultura

Centenas de filmes para o Festival Luxor

Um total de 110 filmes seleccionados entre 500 e em representação de 45 países vão ser exibidos durante a sétima edição do Festival do Filme Africano de Luxor, que decorre no Egipto, cuja cerimónia de abertura acontece sexta-feira.

Estão previstos a presença de mil convidados. No decorrer da abertura vai ser prestada uma homenagem aos dois actores egípcios Gamil Ratib e Ghada Adele, bem como ao realizador senegalês Moussa Touré.
O Festival celebra o centenário dos líderes africanos Nelson Mandela e Gamal Abdel Nasser, ambos nascidos em 1918, pelo seu papel na libertação do continente africano, com a projecção de vários filmes sobre as suas respectivas vidas.
“Cinema para um futuro melhor”, a sétima edição do Festival de Luxor, que escolheu o Rwanda como convidado de honra, vai ser mar-
cada por três  competições em longa-metragem, documentários de longa-metragem e filmes de libertação, indicam os observadores.

Negros  no Japão
O documentário “Black In Tokyo” (Negro em Tóquio), produzido em 2017, analisa  a vida de negros residentes em Tóquio, e que está disponível nas redes sociais, desde o início deste mês.
Realizado pela afro-americana, Amarachi Nwosu, de origem nigeriana, o filme segue o quotidiano de cinco estrangeiros negros, cujas origens vão desde a África Ocidental até os Estados Unidos, desvendando os diferentes desafios culturais e oportunidades de viver na capital do Japão.

Tempo

Multimédia