Che Guevara homenageado


14 de Outubro, 2014

Fotografia: AFP

Os feitos do guerrilheiro cubano Ernesto “Che” Guevara foram recordados no fim-de-semana em Caracas, num espectáculo denominado “Um canto com vista à esperança”.

O concerto, realizado em alusão ao 47º aniversário da morte do ícono da esquerda latino-americana, inclui temas célebres como “Gravado em Outubro”, do chileno Gonzalo Rojas, e “Canção contra a indecisão”, do cubano Sílvio Rodríguez.
A iniciativa, realizada na Casa das Primeiras Letras, contou ainda com a participação de  artistas da Venezulea e também serviu para prestar uma homenagem ao chileno Miguel Enríquez, assassinado há 40 anos pelas tropas do ditador Augusto Pinochet.
De acordo com os registos historiográficos, Che chegou à Venezuela depois de ter completado 24 anos, quando ainda era estudante de Medicina e decidiu empreender uma viagem por toda América Latina com o seu amigo Alberto Granados.
O “Guerrilheiro Heróico”, como também é conhecido, viveu durante alguns meses na Venezuela e ficou profundamente impressionado pelo monumento ao Condor e a Bolívar no Bico da Águia, ponto culminante da Estrada Trasandina no estado de Mérida, explica o professor venezuelano Carlos Edsel.
“Guevara e Granados chegaram ao país pela fronteira colombiano-venezuelana, numa zona da cordilheira dos Andes, e depois, estiveram vários dias em Caracas”, conta. “Anos depois, já formado em Medicina, decidiu voltar à Venezuela para trabalhar no hospital Algodonal, mas de passagem pela cidade equatoriana de Guayaquil ficou a saber da revolução de Jacobo Arbenz na Guatemala e decidiu participar nela. O resto já é história”, destacou. Ernesto Guevara de la Serna nasceu em Rosário, Argentina, e desde muito jovem fez parte dos movimentos de libertação de vários países latino-americanos. Em 1956, conheceu o líder da revolução cubana, Fidel Castro, com quem lutou, a ponto de se converter num dos principais comandantes que lideraram essa causa.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA