Cultura

Cidadãos chamados a preservar a cidade histórica de Mbanza Kongo

Fernando Neto | Mbanza Kongo

A consciencialização dos habitantes da província do Zaire com vista a sua participação no processo de preservação e divulgação da cidade de Mbanza Kongo, enquanto Património Mundial da Humanidade, foi ontem defendida pela directora do gabinete provincial da Cultura.

Fotografia: DR


Nzuzi Makiese, que falava à margem das celebrações do 3º aniversário da elevação do centro turístico daquela cidade à Património Mundial da Humanidade pela UNESCO e os 514 anos da sua fundação, afirmou ser necessário responsabilizar os cidadãos para a referida tarefa, uma vez que a região constitui uma herança de África e do mundo.

“O Património é de todos nós, por isso, vamos trabalhar para dar o peso que Mbanza Kongo merece, enquanto Património Mundial, mas o trabalho é de todos nós, porque Mbanza Kongo somos todos nós. Precisamos começar primeiro por nós, como munícipes da região para posteriormente passar para as outras províncias”, acrescentou. De acordo com Nzuzi Makiese, a preservação e divulgação de Mbanza Kongo constitui um desafio de todos, porque existem muitos cidadãos da província que desconhecem o motivo que fez com que o centro histórico da cidade fosse elevado a Património Mundial.

Tempo

Multimédia