Cine Atlântico vibra ao som de Ismael Lo

Roque Silva |
17 de Setembro, 2014

Fotografia: Dombele Bernardo |

Ismael Lo fez vibrar centenas de jovens com a excelente exibição de segunda-feira à noite, no Cine Atlântico, em Luanda, durante um concerto integrado no FENACULT 2014.

Ao longo do espectáculo, que também contou com a participação de artistas angolanos, o público, na sua grande maioria composto por adolescentes e jovens, não parou quieto um só segundo.
A entrada em palco de Ismael Lo originou uma onda de gritos e assobios que vaticinou aquilo que acabou por ser uma constante ao longo de toda a actuação do músico. Mais de mil pessoas vibraram incansavelmente diante do palco ao ritmo da world music, world beat, mbalax e afro-pop, mesmo sem perceberem o que diziam as letras dos temas interpretados por este gigante da música africana.
Acompanhado pela sua banda, o cantor e compositor teve a oportunidade de comprovar o impacto da sua música junto dos angolanos e de pouco mais de uma dúzia de estrangeiros presentes neste concerto memorável.
O músico interpretou alguns dos seus temas de maior sucesso, registados nos dez álbuns produzidos ao longo de 44 anos de carreira, e levou o público ao delírio. “Jammu Africa”, “Tajabone”, “Sophia” e “Dibi Dibi Rek” foram algumas das músicas que marcaram a sua actuação, durante a qual foi ainda possível registar os seus dotes ao piano. Interactivo e animado, Ismael Lo, Cavaleiro da Região de Honra desde 2002, um dos cinco graus da mais alta condecoração da França, ainda cantou “Baykat” a pedido da plateia, interrompendo o seu percurso até ao camarim.
Na verdade, o artista encontrou a assistência já empolgada com o som do Dj Darcy e do percussionista Papi, que abriram o espectáculo e aqueceram o público.
Chelsy Shantel aproveitou o entusiasmo que se vivia e arrancou aplausos ao interpretar “Kuzé ki sta errado”, “Divagar” e “Fatigar”.
Depois foi a vez da cantora  Ary tornar a festa ainda mais animada. Com humor à mistura, a “Diva” viu toda a plateia de pé para com ela cantar em uníssono os temas “Bola para frente”, “Você me escangalha”, “Paga que paga”, “Pelo menos 50” e “Mamã”. A dupla B4 não deixou os seus créditos em mãos alheias. Big Nelo e C4 Pedro encerraram o concerto de mais de três horas de duração, depois de interpretarem “Swaggelísimo (Karga Barbuda)”, “Calor e Frio”, “Baby tu sabes”, “Mapolopolo” e “Grita eh (Se és Filho de Deus)”.

Festival une povos

Ismael Lo disse aos jornalistas que é salutar a participação de artistas estrangeiros numa festa que comemora a Cultura Nacional de uma nação, por criar uma ponte entre artistas de diferentes países. Ao referir-se à calorosa ovação dos jovens, considerou-a um exemplo de demonstração e percepção de que a música não tem fronteiras. “O continente africano é o grande vencedor, pois este concerto marca o reforço da união de dois povos”.
Pela quinta vez em Angola, o músico senegalês agradeceu o convite e salientou que Angola regista níveis de desenvolvimento considerável.
A concluir, pediu às nações africanas para abrirem as suas fronteiras para juntas lutarem pela erradicação do ébola.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA