Cultura

Cineasta realiza documentário autorizado do rapper Tupac

Steve McQueen, vencedor de um Óscar por realizar o filme “12 anos de escravidão”, vai rodar um documentário autorizado do lendário rapper Tupac Shakur, falecido há 20 anos.

O realizador britânico disse que estava “muito emocionado” por explorar a vida de Tupac, que disse ter conhecido indirectamente em 1993, quando estudava em Nova Iorque.
“Poucos, se é que alguém conseguiu, brilharam mais do que Tupac Shakur”, disse McQueen num comunicado. “Estou a buscar trabalhar, no futuro, muito de perto com a sua família para contar a verdadeira história deste talentoso homem”, indicou.
O anúncio chega um mês antes da esperada produção de ficção sobre a vida de Tupac, “All eyez on me”, chegar às salas de cinema.
Este filme, protagonizado por Demetrius Shipp Jr - um actor pouco conhecido, mas muito parecido com o rapper - originalmente seria lançado no ano passado durante o 20.º aniversário da sua turbulenta morte em Las Vegas. Afeni Shakur, a mãe de Tupac, que morreu no ano passado, queria um documentário que mostrasse o seu filho “de uma maneira completa”, disse a sua irmã Gloria Cox.
“Nunca foi nossa intenção reescrever a história de Tupac. Nosso objectivo sempre foi contar a história real, de uma maneira tão completa como nunca antes”, assinalou. Tupac, que morreu aos 25 anos e que começou como bailarino de coreografia, chegou a ter um estilo próprio de rap e continua a ser uma das figuras de maior influência no hip-hop.
Conhecido pela sua letra emotiva e habilidades no palco, Tupac tornou-se no mês passado o primeiro rapper solo a entrar no Salão da Fama do Rock. Tupac Amaru Shakur, mais conhecido pelos seus nomes artísticos 2Pac, Makaveli ou apenas Pac, cujos críticos e membros da indústria fonográfica nomearam-no como o maior rapper de todos os tempos.

Tempo

Multimédia