Cineastas ambicionam o troféu


6 de Setembro, 2016

Fotografia: Reuters

Cineastas consagrados como Terrence Malick, Wim Wenders, Emir Kusturica e François Ozon exibem os seus filmes mais recentes desde a semana passada até sábado, na 73ª edição do prestigioso Festival de Veneza, na mostra oficial pelo Leão de Ouro, considerada uma das mais interessantes dos últimos anos.

A mostra oficial tem 20 cineastas, com quatro longas-metragens de realizadores latino-americanos, mas nenhum deles do Brasil. No ano passado, o vencedor do Leão de Ouro foi “Desde Allá”, do venezuelano Lorenzo Vigas.
O grande destaque latino é o chileno Pablo Larraín, que exibe em Veneza o filme “Jackie”, que mostra os quatro dias dramáticos vividos por Jacqueline Kennedy (interpretada por Natalie Portman) após o assassinato do seu marido John Fitzgerald Kennedy, então presidente dos Estados Unidos. Outro filme muito aguardado por Veneza é “On The Milky Road”, do sérvio Emir Kusturica, que tem como protagonista a italiana Monica Bellucci.
Vencedor do Leão de Ouro em 1981 por “Você lembra-se de Dolly Bell?” e  detentor de duas Palmas de Ouro do Festival de Cannes, o realizador rodou o novo filme numa localidade reconstruída perto da fronteira entre a Sérvia e a Croácia. O festival também conta com outros filmes que representam o grande cinema actual de  todo o mundo. Veneza recebe produções de autores refinados, como o segundo filme do estilista Tom Ford sobre uma galerista de arte (Nocturnal animals), até ao ambicioso documentário sobre a origem do Universo de Terrence Malick, “Voyage of Time”, que resume a sua reflexão poética e sobretudo visual sobre a vida iniciada com “A Árvore da Vida” (2011).
O alemão Wim Wenders regressa ao Festival de Veneza após vários anos com o documentário “The Beautiful Days of Aranjuez”, realizado em 3D, baseado numa peça de Peter Handke. A influência de Hollywood está amplamente representada com “Brimstone”, do holandês Martin Koolhoven, apresentado como um “western europeu”. a lista também aparecem os filmes franceses “Frantz”, de François Ozon, e “Une Vie”, de Stéphane Brizé, inspirado na obra de Guy de Maupassant. Três produções italianas também estão na disputa.
Presidido pelo cineasta britânico Sam Mendes, o júri inclui a actriz italo-francesa Chiara Mastroianni, o italiano Giancarlo de Cataldo, juiz e escritor, e o venezuelano Lorenzo Vigas, vencedor do Leão de Ouro em 2015. O Festival entrega o Leão de Ouro pela carreira ao veterano actor francês Jean-Paul Belmondo e ao cineasta polaco Jerzy Skolimowski.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA