Cinema europeu distingue os melhores


17 de Dezembro, 2014

Fotografia: Divulgação

A Academia Europeia de Cinema atribuiu ontem “Ida”, que conta a história de uma jovem freira que descobre as suas raízes, o maior número de prémios.

A longa-metragem “Ida”, do realizador polaco Pawel Pawlikowski , que venceu nas categorias de filme europeu do ano e melhor guião, foi também a escolha do público para melhor filme europeu.
Pawel Pawlikowski também recebeu o galardão destinado ao melhor realizador.
 “Master of The Universe”, de Marc Bauder, venceu na categoria de melhor documentário europeu e “The Art of Hapiness”, do cineasta Alessandro Rak, destacou-se na categoria de melhor filme animado do ano.
O filme “Taprobana”, do realizador português Gabriel Abrantes, era um dos candidatos aos Prémios Europeus de Cinema, da Academia Europeia, na categoria de curta-metragem, a par de 14 produções, mas o júri do concurso acabou por escolher “The Chicken”, de Una Gunjak.
“Taprobana”, apresentado este ano em vários festivais internacionais, é uma ficção em tons de comédia e de sátira, sobre Luís Vaz de Camões, que no Oriente se apaixona por Dinamene cortesã chinesaenquanto escreve a epopeia “Os Lusíadas”.
A Academia Europeia de Cinema decidiu ainda entregar à actriz francesa Marion Cotillard o galardão de melhor actriz pelo seu desempenho no filme “Dois Dias, Uma Noite”, da autoria dos irmãos Jean e Luc Dardenne.
Timothy Spall foi distinguido com o prémio de melhor actor europeu do ano pela interpretação em “Mr. Turner”, um filme biográfico sobre a vida do célebre pintor inglês impressionista.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA