Clássicos adaptados ao teatro

Roque Silva |
17 de Março, 2016

Fotografia: Eduardo Pedro

A primeira edição do Festival de Teatro de Monólogo “Vitória Soares”, a realizar-se de 19 a 27 deste mês na Liga Africana, em Luanda,  conta com a participação de oito grupos da capital do país que  apresentam espectáculos adaptados de clássicos da literatura nacional.

O festival, de carácter competitivo, tem  a participação do colectivo Arte Vida com o espectáculo “Gritos”, adaptado da obra “Sagrada Esperança”, de António Agostinho Neto, o grupo Amazonas, com “A visita”, do livro homónimo de Fragata de Morais, e o conjunto Nova Semente, com “A confissão da órfã”, inspirado do livro “A órfã do Rei”, de José Mena Abrantes.
Concorrem ainda o Tijingenji, com a peça “Transparente”, original de Ondjaki, Dadaísmo, com “E lá fora os cães”, do livro de Ras Nguimba Ngola, Grutis, com “Meu diário”, uma adaptação do livro “Cinco dedos de vida”, de Ismael Mateus, Yetu a Yetu, com “Erros que matam”, livro de Antónia Sónia, e Fortaleza, com “Um minuto para amar”, do livro de Felisberto Felipe. Segundo o regulamento do festival, os espectáculos, com mais de 45 minutos de duração, devem ser representados por um único actor. Este tem a missão de dedicar uma cena do espectáculo a poesia angolana, na qual deve declamar um poema de qualquer escritor nacional, desde que já esteja enquadrado com o argumento.
Leonel Paulino, director técnico do festival, realçou, ao Jornal de Angola,  o facto de haver uma maior participação de actrizes, cinco, em representação dos seus grupos. Leonel Paulino explicou que o festival tem por objectivo estimular a produção teatral e incentivar a adaptação de literatura nacional ao teatro, bem como valorizar o papel dos diversos artistas intervenientes na concepção de um espectáculo, com ênfase para as actrizes.
Uma equipa constituída por quatro profissionais de teatro compõem o júri que avalia as obras em concurso e atribui prémios aos espectáculos feminino e masculino e à melhor poesia.
O festival, uma produção da Cena Livre, homenageia Vitória Soares “Totonha”, antiga directora e actriz do colectivo de teatro Oásis, da Força Aérea Nacional de Angola.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA