Coimbra e Luanda patentes nas obras de Carlos Resende


9 de Julho, 2016

Fotografia: Pedro Resende

A exposição “Entre Coimbra e Luanda”, constituída por 35 obras inéditas de pintura a aguarelas, produzidas em 2015 e 2016, pelo artista plástico português Carlos Resende, está aberta ao público até 26 de Julho no Camões - Centro Cultural Português, em Luanda.

Inspirado em  Angola, que visitou, pela primeira vez em 2015, Carlos Resende deixou-se seduzir pelas cores fortes, alternando com  os tons  matizados, as formas esbatidas, numa evocação da beleza da natureza africana, facto que se traduziu num trabalho singular, resultado dos novos estímulos que recolheu quando concretizou um sonho antigo de conhecer Angola.
Partindo de elementos figurativos diversos do micro e do macrocosmos, como reflexos da água do mar e de rios e elementos do próprio processo criativo, tem vindo a evoluir  para uma expressão tendencialmente abstracta. O artista deixa patente no trabalho a  viagem entre duas cidades, distantes no espaço geográfico, mas próximas, visto que a cultura é uma ponte que encurta  distâncias  e esbate fronteiras. 
Carlos Resende nasceu em Coimbra em 1961, é licenciado em pintura na ARCA - EUAC e é professor de Artes-Visuais desde 1983.Expõe desde 1983 e conta no seu percurso com mais de 20 exposições individuais e 30 colectivas. Foi o artista plástico português convidado para o I Salão de Banda Desenhada do IRSA em Bruxelas, em 2002.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA