Comédia estreia este mês em Nova Iorque


11 de Julho, 2014

“Clinton: The Musical", uma comédia sobre o escândalo sexual que abalou a Casa Branca, com dois actores interpretando o ex-presidente norte-americano Bill Clinton, faz a sua estreia nos Estados Unidos neste mês, durante o festival dos musicais em Nova Iorque.

O espectáculo, que estreou no Fringe Festival, de Edimburgo, na Escócia, em 2012, e depois foi para Londres, está a ser descrito pelos críticos como “espirituoso, peculiar" e uma “deliciosa sátira política".
O musical retrata as tentativas de Bill e Hillary Clinton de salvar a presidência após o seu caso extraconjugal com a ex-estagiária da Casa Branca Monica Lewinsky.
“A nossa peça é uma espetada carinhosa em Bill Clinton", disse numa apresentação prévia o actor Duke LaFoon, que interpreta o Bill que se mete em encrenca. “Ele é uma figura, então há muito lá para piadas".
Karl Kenzler, como W.J. Clinton, é o político idealista que realmente quer mudar o país e ajudar as pessoas. “Em última análise, esse espectáculo é uma boa farsa.
É uma paródia e as pessoas fazem muitas comparações com 'South Park’ e 'The Book of Mormon’ (O Livro dos Mórmons)", disse Kenzler, referindo-se à comédia de TV e à peça da Broadway. Escrita pelos irmãos australianos Paul e Michael Hodge, a peça vai ter apresentações entre 18 e 25 de Julho no festival, uma vitrina para novos musicais.
O musical estreia num festival em Nova Iorque após a publicação do livro de memórias de Hillary Clinton “Hard Choices" (Escolhas Difíceis), e com o país a especular se ela vai concorrer à presidência em 2016. Os Clinton não responderam a um pedido de comentário sobre o espectáculo.
Paul Hodge decidiu escrever o musical depois de ver um espectáculo de teatro na Austrália sobre um ex-primeiro-ministro australiano. A ideia surgiu quando o seu pai sugeriu que a história de Clinton daria um grande musical.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA