Comissão pede transparência


4 de Fevereiro, 2016

Fotografia: João Gomes

O coordenador da Comissão do Carnaval de Luanda, Manuel Sebastião, apelou terça-feira aos membros do júri do Entrudo maior transparência e ética profissional na classificação dos grupos que desfilam na Marginal da Praia do Bispo.

O apelo foi transmitido num encontro com os 42 membros do júri que vai atribuir pontuações nas categorias de dança, canção, alegoria, rainha e comandante.
“Estivemos aqui a fazer um exercício muito bom, pois é possível fazer um trabalho positivo desde que nos atemos aos aspectos do regulamento. Os membros do júri são profissionais experimentados, com muita experiência na área cultural e estamos certos de que vamos fazer um bom trabalho”, argumentou Manuel Sebastião.
O coordenador da comissão lembrou que os jurados não podem pertencer a um grupo carnavalesco. “Um júri deve renunciar a tal acção, respeitando assim o código de conduta e ética profissional [do Carnaval]”, acrescentou.
A partir deste sábado e até terça-feira, 40 grupos vão desfilar na Marginal da Praia do Bispo. No dia 6, exibem-se os 14 da classe infantil. No dia seguinte, é a vez dos 14 da classe B (adultos) percorrerem a avenida. O desfile principal acontece na terça-feira, 9, com a participação de 12 grupos da classe A (adultos), mais o Kazucuta do Sambizanga que recebe uma homenagem especial pela sua longa carreira.
Dois grupos de animação infantil e igual número de adultos, os Blocos Vermelho e Azul, desfilam na terça-feira sem pontuarem para a classificação.
O montante para prémios ascende a 14.800.000 kwanzas. “Vamos premiar do primeiro ao quinto classificado das classes A, B e infantil. Há também o prémio BAI da Canção para as categorias infantil, A e B”, anunciou Manuel Sebastião.
Os bilhetes de acesso às bancadas e à tribuna variam entre os mil e os dois mil kwanzas. “O Carnaval é uma manifestação cultural e uma oportunidade que só acontece uma vez por ano, então flexibilizámos os preços dos bilhetes”, explicou o coordenador do Carnaval.

Protecção e assistência

O comando de Luanda do Serviço Nacional de Protecção Civil e Bombeiros (SNPCB) desloca efectivos humanos e recursos técnicos nos três dias de desfile.
O porta-voz dos bombeiros, Faustino Minguês, disse  à Angop que 200 efectivos do SNPCB vão estar presentes no local, equipados com viaturas de extinção de incêndio, de resgate e  ambulâncias.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA