Cultura

Comité de Gestão exige deslocação do aeroporto

Kayila Silvina | Mbanza Kongo

Os membros do Comité de Gestão Participativa do Centro Histórico de Mbanza Kongo recomendaram, quarta-feira, a transferência do aeroporto da cidade de Mbanza Kongo, para a comuna de Nkiende, trinta quilómetros da sede capital da província do Zaire.

Requalificação do Centro Histórico da cidade é uma das exigências dos peritos da Unesco
Fotografia: Garcia Mayatoko | Edições Novembro | Mbanza Kongo

De acordo com os integrantes, já foram realizados trabalhos de limpeza e de desminagem na localidade onde será construído o novo aeroporto de Mbanza Kongo, faltando acertos de ordem técnica e financeira a serem aprovados pelo Executivo, para o início das obras.
Os participantes da II  Reunião do Comité de Gestão participativa do Centro Histórico de Mbanza Kongo recomendaram, também, à direcção da Rádio Nacional de Angola (RNA) e da empresa Angola-Telecom, a remoção das antenas, por estarem localizadas na zona tampão do centro histórico.
Contactado pelo Jornal de Angola, o responsável da Cultura no Zaire, Biluka Nsenga, não avançou a data do início das obras da construção do novo aeroporto. Deu a conhecer que o comité de gestão e o governo provincial do Zaire estão em contacto  permanente com os órgãos que vão realizar os trabalhos da remoção das antenas.
O conclave recomendou, igualmente, a deslocação para Angola das equipas da República Democrática do Congo, Gabão e do Congo Brazzaville, ligadas ao projecto do Centro Histórico de Mbanza Kongo, para tratarem do dossier sobre a construção do Museu do Reino do Kongo.
Consta ainda das recomendações, a presença em Angola de peritos dos três países para a realização da IV  Mesa-Redonda agendada para Junho e a participação no Festi-Kongo 2019, fórum pelo qual os membros deverão aflorar aspectos ligados à arte, à culinária e a usos e costumes do povo bakongo.
Orientada pela secretária do Estado da Cultura, Maria da Piedade de Jesus, os participantes passaram em revista o projecto das infra-estruturas onde deverá  funcionar o Comité de Gestão Participativa, recursos financeiros e humanos bem como a fiscalização das intervenções fiscais, situados no perímetro da zona tampão da cidade.
Sobre as futuras instalações do Comité de Gestão Participativa do Centro Histórico de Mbanza Kongo, Biluka Nsenga disse que o Governo Provincial já entregou ao Ministério da Cultura  as estruturas para o seu funcionamento e já mereceram obras de restauro, faltando apenas os apetrechos em mobiliário e a instalação dos aparelhos de ar condicionado.

Tempo

Multimédia