Companhia Enigma Teatro leva peça "A Raiva" à Trienal


26 de Maio, 2016

Fotografia: Paulino Damião

A Companhia Enigma Teatro exibe hoje, às 20h00,  no Palácio de Ferro, a peça “A Raiva”,  vencedora do prémio Cidade de Luanda, em 2010, no âmbito da III Trienal de Luanda.

A peça retrata o quotidiano dos luandenses, apelando ao resgate dos valores morais e cívicos perdidos, bem como à sã convivência entre os citadinos.
Encenada e dirigida por Tony Frampénio, director da companhia, a peça faz um paralelismo entre a raiva que actua nos animais e a que ocorre na personalidade humana, a fim de proporcionar uma reflexão, e sobretudo, promover mudança de comportamento.
A companhia, fundada em 1998, é fruto da confluência dos Makotes, criado em 1987, e os Komba Meneck, em 1997.
Entre outros troféus, a companhia recebeu a medalha de ouro para melhor texto, encenação e actor, no concurso nacional de Teatro, realizado pela Associação Angolana de Teatro (AAT) em 2009, o Prémio Nacional de Cultura e Artes, em 2014, entre outras distinções.
A Companhia Enigma Teatro possui mais de dez espectáculos, entre os quais “A grande Questão”, “De Luandina a Luanda para Luandão”, “Sabutchuca”, “O pensamento do dia”, “A Casa dos loucos”, “Apaixonados por engano”, “A Lata vazia”, “Se não fossem mulheres” e “Na corda bamba”.
A programação da III Trienal de Luanda teve início a 1 de Novembro de 2015 e vai até 30 de Novembro de 2016, sob o lema “Da Utopia à realidade”.
Segundo o patrono da Fundação Sindika Dokolo, instituição que organiza a III Trienal de Luanda, o evento é popular, e defende a ideia de que “temos que ser nós próprios a abordar os nossos problemas.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA