Cultura

Compositor transmite legado à nova geração

Manuel Albano |

Um desejo antigo: conseguir um patrocínio para abrir, na sua residência, no bairro Cassequel do Lourenço, um espaço para ensinar a compor e a cantar correctamente o quimbundo faz parte das prioridades para os próximos anos do cantor e compositor Xabanu.

Músico Xabanu quer patrocínio para criar espaço de formação
Fotografia: Edições Novembro |

Numa corrida contra o tempo e numa fase descendente da sua vida, Xabanu, disse ao Jornal de Angola que “não pretende deixar o mundo dos vivos, sem concretizar o sonho de transmitir os seus conhecimentos às novas gerações”.
Por isso, o artista apelou aos empresários que o ajudem a concretizar esse sonho de longos anos de uma carreira artística de quatro décadas. Luís Martins de Jesus, conhecido por Xabanu, afirmou já ter composto para Carlos Burity, Patrícia Faria, Yuri da Cunha, Os Kiezos, Clara Monteiro, Zeca Moreno, Voto Gonçalves, Massano Júnior e Versáteis.
É autor de sucessos como “Gingonça do Macaco”, “Quimbangula” e “Santo António”, interpretadas por Carlos Burity. O cantor e compositor é igualmente autor de outros temas conhecidos do público como “Minissaia”, “Mamã Lemba” e “Zacumba”, interpretados por Voto Gonçalves.
“Nzaji” é outro sucesso de Xabanu, que foi interpretado pelos Versáteis, no estilo rumba,  e por Patrícia Faria no estilo semba, também na versão em quimbundo.
O propósito da abertura do espaço, explica, é traduzir as letras do português para o quimbundo e vice-versa, mantendo a melodia e a essência das músicas.
Preocupado com a forma com que alguns dos jovens vão interpretando as línguas nacionais, fundamentalmente o quimbundo, Xabanu aconselha à nova vaga de intérpretes do semba para consultar, sem vergonha, os mais experientes para os ajudar a aperfeiçoar e melhorar a qualidade dos trabalhos.
Xabanu tem 50 originais registados na Sociedade Angolana dos Direitos de Autor e garante que são poucos os músicos da nova geração que compõem e ao mesmo tempo cantam com qualidade. “Na sua maioria, só interpretam temas antigos escritos pela antiga geração.”

O legado aos filhos
Nascido em 1947, na Funda, município de Cacuaco, Xabanu começou  a cantar e a compor em quimbundo, língua cantada muitas vezes em casa pelos seus familiares.  Daí a preferência pela música nesta língua nacional.

Tempo

Multimédia