Cultura

Concerto musical para André Mingas

O músico e compositor, André Mingas, se estivesse vivo, completaria ontem 70 anos. Em alusão ao seu 70º aniversário, Ary, Kizua Gourgel, Toty Sa’med, Selda, Yoxi e Paulo Flores juntaram-se ontem para um tributo musical.

André Mingas pertence à geração de ouro da música angolana
Fotografia: DR

O concerto, com a duração de 180 minutos, começou às 17 horas e foi transmitido na página oficial do músico e compositor (André Mingasoficial), juntando seis vozes de diferentes componentes musicais.

O músico e compositor angolano faleceu no dia 11 de Outubro de 2011, em São Paulo, Brasil, aos 61 anos. André Mingas é considerado um dos artistas da geração de ouro da música angolana, a par de Teta Lando, Filipe Mukenga e Waldemar Bastos. O seu primeiro álbum, “Coisas da Vida”, foi lançado há mais de 30 anos, mas continua ainda hoje a ser uma das referências musicais angolanas, misturando os ritmos locais com o jazz e o rock.

Entre os seus trabalhos mais conhecidos está a música “Mufete”, considerado um hino à reconciliação e dos grandes êxitos da música urbana angolana. O músico e compositor é o autor dos álbuns ‘Coisas da Vida’ e ‘É Luanda’. Suas músicas e letras expressam o amor, valorizam a mulher angolana e relatam a realidade da vida com forte sentido de paz e fraternidade.

A par da música, André Mingas, arquitecto de formação, dedicou parte da sua vida à política, tendo nos últimos anos da sua vida exercido o cargo de cônsul de Angola em São Paulo, Brasil. O músico foi ainda vice-ministro da Cultura, tendo durante o seu mandato criado a Sociedade Angolana dos Direitos de Autor (SADIA). André Mingas exerceu ainda funções de assessor do Presidente da República para os Assuntos Locais e Regionais.

Filho de André Rodrigues Mingas e Antónia Vieira Dias Mingas, Andre Mingas nasceu em Luanda, a 24 de Maio de 1950. Influenciado pelo irmão Ruy Mingas e pela genialidade do tio Liceu Vieira Dias, graças ao seu talento indiscutível e sentido de modernidade, começou desde muito cedo a criar uma nova sonoridade musical em Angola, quando mais ninguém o fazia, o que é visível no seu primeiro álbum denominado “Coisas da Vida”.

Tempo

Multimédia