Cultura

Concertos acústicos reúnem duplas de músicos nacionais

Manuel Albano

Criar momentos ímpares e pouco comuns entre artistas nacionais, assim como procurar alimentar novos conceitos musicais é o propósito da primeira temporada do projecto “Duetos N’Dvenida”, que arranca no próximo dia 25, às 20h00, na Casa 70, com Puto Português e Patrícia Faria.

figueira ginga (ao centro) disse que o projecto visa valorizar a música e intérpretes angolanos
Fotografia: dombele bernardo | edições novembro

O projecto, que foi apresentado à imprensa na quarta-feira, em Luanda, tem como objectivo, numa primeira fase, reunir dez vozes, entre as melhores do mercado musical angolano, numa iniciativa da Zona Jovem Produções.
Esta iniciativa é diferente do projecto “Serenatas à Kianda”, também da mesma produtora, que privilegia as duplas entre artistas dos países da lusofonia, disse o director da produtora.
Figueira Ginga assegurou que o projecto visa valorizar a música angolana e os seus intérpretes nas mais variadas vertentes, criando uma maior união entre a classe artística, e promover o intercâmbio geracional.
A ideia, disse, é tentar desenvolver um conceito de espectáculos predominantemente na vertente acústica: “Queremos desafiar os artistas a fazerem coisas diferentes, cantando juntos no mesmo palco e contribuir para a criação de uma agenda cultural para a cidade de Luanda.” 
Em cinco concertos, previstos nesta primeira fase, cada um vai ter a participação de uma dupla de artistas em concertos acústicos que se pretende “memoráveis”, segundo o director da Zona Jovem Produções, que idealizou o projecto.

Criar momentos únicos
Para Puto Português, interpretar temas de Patrícia Faria é um desafio que acredita ser um dos momentos marcantes para a sua carreira. “Sabemos que interpretar as canções de Patrícia Faria significa também momentos de muita energia em palco, uma das  principais características desta cantora.”
Enquanto para a Patrícia Faria, a “Negra Caliente”, a responsabilidade é maior, por serem os primeiros da temporada, razão pela qual vão procurar dar o máximo no sentido de dignificar o convite do projecto.
O segundo concerto, no dia  22 de Setembro,  vai dar alma a uma relação de “pai para filho”, para justificar o encontro entre Eduardo Paim e Maya Cool, onde a kizomba vai ter o seu espaço. “Será um encontro de gerações e de uma relação de alguma intimidade musical”, disse o director da Zona Jovem Produções.
Eduardo Paim, que privilegiou a conferência de imprensa com a sua presença, explicou  que o momento vai ser memorável e de certa forma indescritível.
“Somos de gerações diferentes. Vi crescer o Maya, que tem uma carreira bem construída, e vamos procurar dar o melhor para criar uma interacção entre público e os cantores.”
Os duetos Gabriel Tchiema e Euclides da Lomba (26 de Outubro), Bruna Tatiana e Edmázia Mayembe (24 de Novembro) e Yuri da Cunha e Paulo Flores (8 de Dezembro) completam a primeira fase do projecto.

Tempo

Multimédia