Cultura

Conflitos geracionais apresentados na Liga

Manuel Albano |

A prática de recorrer  ao feitiço para se atingir o sucesso financeiro e conquistar bens materiais é o destaque a peça “Sangue de Cão”, a ser apresentada pela Companhia Artística Nova Cena, hoje, às 20h00, na Liga Africana, inserida na programação do Circuito Internacional de Teatro, que decorre até Setembro.

Nova Cena transporta para o palco a prática de feitiçaria
Fotografia: Paulino Damião|Edições Novembro

De acordo com a sinopse, o feitiço tem sido um facto em determinadas sociedades tradicionais angolanas, impondo a crença de que os detentores de terras devem sacrificar alguns dos seus filhos com a morte para existir uma maior produção agrícola.
Por essa razão, a moral social forjada ao longo dos séculos contraria esta tendência, impondo um conflito geracional, tendo provocado vítimas. Em “Sangue de Cão”, a ideia é mostrar as consequências e reflexos desses actos no meio familiar.
A peça é desenvolvida na década de 50, numa região da província do Cuanza-Sul. Um homem é condenado à morte por se recusar a dar os seus filhos para fortificar os negócios que dirige, instalando-se um grande conflito familiar.
O choque cultural entre o moderno e o tradicional vai estar mais uma vez em evidência em palco, onde a resolução de conflitos só é possível com a intervenção das autoridades administrativa, tradicionais e religiosa.
Criada em Fevereiro de 1993, a companhia consolidou-se  fruto da integração de actores experientes vindos dos grupos Horizonte Njinga Mbande e Oásis.
O espaço Teatro Elinga acolhe, hoje, às 9h30, a palestra subordinada ao tema “Projectos culturais”, com prelecção do jornalista, autor e encenador Felisberto Filipe.

Tempo

Multimédia