Contos angolanos em Lisboa


13 de Novembro, 2015

O escritor António Quino apresentou, quarta-feira, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, em Portugal, o seu mais recente livro, “República do Vírus”.

Numa parceria entre a Texto Editores e a União de Escritores Angolanos (UEA), “República do Vírus”, escrito em estilo satírico e irónico, descrevendo as aventuras e desventuras de um político, Zuão Xipululu, da República Unida da Mulumba (RUM), foi apresentado pela escritora Ana Paula Tavares.
António Quino refere que em “República do Vírus”, com 72 páginas, não “são apenas uma estória, mas sim luzes sobre vivências em que cada leitor, personagem ou actor, se pode rever”. Segundo o autor, “a história remete para as peripécias de Zuão Xipululu, que apesar da fidelidade irrepreensível e incondicional ao seu Partido das Ideias Mobilizadoras de Progresso e de Acções para a Mudança de um País Unificado e em Marcha (PIM-PAM-PUM), vê a sua carreira política ameaçada devido a pandemia do ‘vírus da mbunda’”. Licenciado em Ciências de Educação e mestre em Ensino de Literaturas em Língua Portuguesa, António Quino, nascido em 1971, é actualmente docente universitário e director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia da província do Bengo.
Além de escritor e co-fundador da Brigada Jovem de Literatura do Namibe, António Quino é também jornalista, com colaboração regular no Jornal de Angola, “O País” e na publicação “O Chá”.
A União dos Escritores Angolanos (UEA) é uma instituição quadragenária, proclamada a 10 de Dezembro de 1975, tendo como primeiro presidente e membro-fundador o poeta e nacionalista Agostinho Neto, primeiro Presidente de Angola, e como primeiro secretário-geral e um dos membros-fundadores o escritor Luandino Vieira.
A UEA visa promover e divulgar a cultura angolana dentro e fora do país através da edição e publicação de obras literárias.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA