Contributo de Neto em debate

Mário Cohen
23 de Setembro, 2016

Fotografia: Maria Augusta

A visão estratégica de António Agostinho Neto para a Independência das repúblicas da Namíbia, Moçambique e Zimbabwe foi o  foco da segunda conferência sobre a vida e obra do primeiro Presidente de Angola, realizada ontem, em Luanda, no Memorial.

A conferência foi realizada pela direcção do Memorial, sob o lema “O Legado de Agostinho Neto no Novo Mapa Geopolítico Africano”, está inserida no programa de actividades e nas competências e atribuições daquela organização, enquanto Instituição de Utilidade Pública.
No discurso de abertura da conferência, o administrador executivo daquela instituição disse que a iniciativa visa a preservação e investigação do legado do Poeta Maior, como líder da Luta de Libertação Nacional, Fundador da Nação, estadista e homem de cultura.
Hélder Bento acrescentou que divulgar os feitos e os pensamentos políticos de António Agostinho Neto, seu papel fulcral para Independência dos países africanos e permitir que os estudantes angolanos conheçam e mantenham o contacto com a sua obra, assim como as suas realizações, são grandes tarefas da direcção do Memorial.
Para o orador Moreira Bastos, que dissertou sobre  o tema “Papel de Neto para a Independência da Namíbia, Moçambique e Zimbabwe”, não é fácil falar da dimensão política e cultural de Agostinho Neto ou fazer uma incursão teórica sobre o papel desempenhado pelo Fundador da Nação no continente africano, principalmente nos países onde contribuiu para a sua Independência.
Moreira Basto disse que a visão pragmática de Neto circunscreve nos seus pensamentos político, assim como na sua estratégia de política externa, tendo revelado que é neste pensamento que se enquadra os discursos do Poeta Maior que sempre afirmava que Angola é e será uma grande potência na revolução em África.
O orador disse que é uma honra ter apresentado uma comunicação na conferência, enquadrada nas actividades do Dia do Herói Nacional, e, simultaneamente,  data do seu 37.º aniversário da morte, ocorrida a 10 de Setembro de 1979.A conferência sobre “O Legado de Agostinho Neto no Novo Mapa Geopolítico Africano” contou com a presença de várias individualidades, entre as quais Cornélio Caley, Secretário de Estado da Cultura, e Maria Eugénia Neto, viúva do primeiro Presidente de Angola.
 A primeira conferencia foi realizada no dia 20 de Setembro de 2012, na qual estiveram em debate os temas “A Trajectória do Pensamento Político e sobre sua Obra Poética” e  “Dimensão Política e Estadista de Agostinho Neto”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA