Cornélio Caley destaca união dos criadores

Manuel Albano|
12 de Setembro, 2014

Fotografia: Eduardo Pedro

O secretário de Estado da Cultura, Cornélio Caley, considerou a Feira das Indústrias Culturais um factor de união dos criadores e de promoção das artes em Angola.

Ao discursar no salão Espelho de Água, durante o encerramento da feira, Cornélio Caley disse que a feira ajudou a criar mais um espaço para promoção das actividades artísticas, potenciando o intercâmbio pela via do comércio e bens culturais comerciais.
O responsável felicitou ainda o empenho e a dedicação dos expositores pela forma como se dedicaram a valorização e promoção dos produtos culturais. “Foi uma grande movimentação em que o país saiu a ganhar, em especial por ter congregado num único espaço vários criadores”, disse.
Cornélio Caley pediu ainda um maior engajamento dos empresários e agentes culturais na promoção das actividades artísticas nacionais. “A Lei do Mecenato que actualmente é muito debatida é um instrumento que vai ajudar e incentivar os parceiros do Executivo a serem mais participativos nas acções de âmbito cultural, por exemplo, assim como na redução dos preços dos produtos importados”, garantiu.
A economia de mercado, acrescentou, é outro dos temas debatidos que foi de grande valia, porque “a sua implementação vai permitir dinamizar as actividades artísticas e incentivar os fazedores de arte a serem mais criativos, através de ideias atractivas”. O resgate do espírito de solidariedade e fraternidade entre os agentes culturais foi outro dos apelos deixados pelo responsável. “Devemos ser os mentores de boas acções, pois é uma forma de impulsionarmos a valorização da identidade cultural”, defendeu.
Para o presidente da administração da Feira Internacional de Luanda (FIL), Matos Cardoso, a actividade, que decorreu de 5 a 10, foi uma vitória por conseguir que o sector da cultura fosse visto também como possível fonte de receitas para o Estado e não somente de despesas.
“As pessoas acreditam, geralmente, que a cultura só gera despesas. Essa ideia mudou aqui. Vimos que é possível criar também uma indústria muito rentável, conferindo dignidade aos criadores nacionais”, destacou.
A vencedora do Grande Prémio da Feira das Indústrias Culturais da edição 2014 foi a Livraria “Clube Livro”, enquanto a Televisão Pública de Angola (TPA) foi distinguida na categoria de Melhor participação Imprensa.
A gala foi animada pelos músicos Gelson Castro e Bangão, que foi acompanhado pela banda Cana de Açúcar, composta por Pedrito, JP, Jorge Semedo, Dudu, Fança, Livongh, Lolito e Sisasa.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA