Cultura

Criações de Nelo Teixeira em mostra na galeria ELA

“Convocatória, Chicala forever” é o título da exposição individual do artista plástico  Nelo Teixeira, a ser inaugurada hoje, às 18h00, no Espaço Luanda Arte (ELA) resultante da sua residência artística nesta galeria de artes.

Pintor presta uma homenagem por meio das artes plásticas ao Bairro da Chicala onde reside
Fotografia: Paulino Damião | Edições Novembro

“Convocatória, Chicala forever”, foi concebida e desenvolvida por Nelo Teixeira em colaboração com o “ELA”, espaço onde o artista se encontra em residência artística,  desde Setembro de 2017. 
Na exposição vão estar patentes, até o próximo dia 15 de Novembro, um conjunto de 20 trabalhos em formato de serigrafia, uma Vídeo Instalação e mais uma surpresa.
Sobre a exposição o crítico Jomo Fortunato refere que a mostra é apresentada “num processo de reconstituição emotiva e intelectual da memória, Nelo Teixeira reutiliza e consagra em arte, um conjunto de objectos de proveniência inusitada, imagens inéditas e propostas gráficas surreais, de importância aparentemente secundária e residual, conferindo ao dispensável um estatuto de valorização artística, inequivocamente indispensável à compreensão da sua profunda e apaixonada visão do mundo”.
 “Convocatória, Chicala forever” segundo as palavras de Nelo Teixeira, “Retrata a vivência e memória do passado de uma geração que viveu na Chicala que tinha os seus sonhos, porque vi este espaço a crescer e estou a assistir o seu desmoronamento, com a ida da sua população para o Zango. A verdade é que estas gerações, muitas das quais nasceram neste espaço foram transferidas para outros lugares e houve como que uma transmutação de desejos, paixões e projectos . “A Chicala foi o bairro que me deu a energia para ser o artista que sou hoje, por esta razão a exposição ‘Convocatória, Chicala forever’, tem uma importância simbólica para mim”.
Nelo Teixeira trabalha em reside, desde 1993, no Bairro da Chicala onde criou o atelier “Só Bumba”, que tem desenvolvido várias parcerias com movimentos artísticos e projectos solidários. Da sua família, herdou também a arte de criar máscaras e tem vindo a desempenhar um papel importante na comunidade artística de Luanda, onde ensina às gerações mais novas algumas das suas técnicas”. Sobre os matérias com que trabalha, Nelo Teixeira disse o seguinte: “Trabalho muito com materiais reciclados e resíduos. Tento explorar quase tudo, metais, plásticos, alumínios, vidros, tintas, até porque Luanda é uma cidade muito rica em resíduos, aos quais associo toda a inspiração que alimenta a minha criação artística”.
As obras de Nelo Teixeira pertencem a várias colecções nacionais e estrangeiras, das quais destacamos as mais importantes, Colecção Paulo Murias, Luanda,  colecção privada, António Seguro, Fundação Arte e Cultura,  Nuno de Lima Pimentel Collection,  Colecção do Fundo Soberano de Angola, Colecção Presidente Business Centre, colecção António Nascimento,  todas em Luanda, e colecção Costa Lopes, Lisboa, Portugal.

Um espaço de promoção
Dominick Tanner, curador-produtor britânico e Director-geral da “ELA,  Espaço Luanda Arte”, vive e trabalha em Angola há mais de oito anos e durante esse tempo, produziu e desenvolveu uma  conjunto de projectos que visam enaltecer os artistas, fomentar a arte angolana, bem como valorizar as instituições que têm apoiado a criação artística. 

Tempo

Multimédia