Cultura

Criadores convidados a expor na Feira Internacional de Paris

Os artistas plásticos Binelde Hyrcan, Pedro Pires e Kapela Paulo foram convidados a participar na feira internacional “Art Paris Art Fair”, na capital francesa, entre 30 deste mês e 2 de Abril.

O convite foi formalmente apresentado na terça-feira, em Luanda, pela galeria ELA (Espaço Luanda Arte), em conferência de imprensa, que visou a apresentação dos artistas angolanos à feira internacional.
A iniciativa conta com 140 galerias de cerca de 20 países, para explorar a arte europeia do período pós-guerra até à actualidade, bem como as cenas emergentes, segundo disse o responsável da galeria ELA, Dominick Alexander Maia.
Precisou que desde 2012, a feira tem vindo a construir uma excelente reputação na cena artística mundial e, nesta senda, a galeria ELA vai estar localizada na “Secção Promessa”, onde os criadores com menos de seis anos de actividade vão apresentar as suas criações.
“A secção vai estar localizada no centro do Grand Palais, com 12 galerias, onde podem apresentar até três artistas ao mesmo tempo”, afirmou o responsável. Para esta edição  de 2017, disse Dominick Alexander Maia, o continente  africano  vai apresentar uma visão aprofundada da fertilidade criativa e da energia de África, cujo objectivo é trabalhar com galerias e artistas locais e da  diáspora, para destacar a riqueza e a diversidade da criatividade contemporânea.
Desta  feita, os artistas angolanos vão levar à feira internacional “Art Paris Art Fair” várias obras com técnica versada em colagem, pintura e instalação.
Na ocasião, o artista plástico Kapela Paulo valorizou a oportunidade de ter sido convidado para participar do evento, e assegurou que vai representar condignamente as artes plásticas angolanas.
“Estou satisfeito pelo convite e será uma oportunidade para mostrar, no certame, as potencialidades de Angola”, disse o artista.
Nascido no Uíge, Paulo Kapela percorre o mundo com a sua arte desde 1995, tendo participado em várias  exposições colectivas com destaque para  “Tons e Texturas da Angolanidade”, em 2003.
Por sua vez, o jovem artistas plástico Binelde Hyrcan admitiu que a feira vai ser uma possibilidade de internacionalizar a cultura angolana, em geral, e as artes plásticas, em particular.

SAPO Angola

Tempo

Multimédia