Cultura

Criadores realçam papel do Presidente

O papel do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, na promoção, melhoria e protecção do património cultural angolano foi “predominante” para o actual estado da Nação, defendeu segunda-feira, no Lubango, a classe artística residente na província da Huíla.

Marcelina Gomes directora da Cultura na Huíla
Fotografia: Arão Martins | Huíla-Edições Novembro

Os criadores de arte manifestaram esta posição à Angop, no Lubango, por ocasião dos 75.º aniversário natalício do Chefe de Estado, que se comemorou na segunda-feira.
os criadores foram unânimes em sublinharem que fruto do empenho do Presidente de República, a Cultura Nacional afirmou-se no contexto das Nações pois, com a sua visão, construíram-se infra-estruturas culturais, assim como se apostou  mais na formação artística dentro e fora do país.
Com 30 anos de carreira, o músico Daniel Navalha disse que os esforços empreendidos por José Eduardo dos Santos permitiram a evolução e melhoramento do Património Cultural Material e Imaterial na Huíla, em participar, e no país, em geral.
O músico Cândido Ananás reconheceu o empenho “incansável” do Presidente da República, cujos resultados encontram-se na afirmação e valorização da identidade da cultural nacional a todos níveis.
O cantor Correia Victor disse que a figura do Presidente representa um elemento preponderante na comunidade nacional, sendo  um agente activo do progresso de desenvolvimento sociocultural de Angola.
Serafim Afonso, coordenador provincial da União dos Artistas e Compositores (UNAC-SA), reafirmou que graças à maturidade do Chefe de Estado é que se verifica a ampliação significativa da municipalização dos serviços culturais em todo o território nacional.
A directora provincial da Cultura na Huíla, Marcelina Gomes, afirmou que enquanto “combatente da linha da frente”, José Eduardo dos Santos fez com que as metas no sector da cultura chegassem aos actuais patamares de realce.

Tempo

Multimédia