Criatividade feminina vista em exposição

Manuel Albano
21 de Julho, 2015

Fotografia: Samy Manuel

“Luz e Vida” é o título da primeira mostra individual de artes plásticas de Zinha,  apresentada ao público no dia 30, às 18h30, no Salão Internacional de Exposição da União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP), onde fica patente até 4 de Agosto.

A exposição, disse a artista, é preparada há dois meses e mostra, em 25 quadros, as diferenças sociais, assim como os hábitos de várias regiões do país. “Vivemos cada vez mais em sociedades individualistas onde é visível a barreira existente entre o pobre e o rico. Mas no final somos apenas pessoas com os mesmos sonhos e objectivos”, disse.
Zinha, que utiliza o “spray” como técnica para fazer os seus quadros, adiantou que usa ainda a arte decorativa nas obras e procura, nos temas das telas, chamar atenção para a importância de uma maior valorização da convivência social e preservação da natureza.
O surgimento de mais espaços artísticos no país tem dado oportunidade aos criadores angolanos de mostrarem o seu talento, particularmente nas artes plásticas, defendeu, ontem, em Luanda, a pintora Zinha.
O apoio do Ministério da Cultura e de outras associações ligadas às artes, reconheceu, tem ajudado a criar um mercado mais amplo e diversificado, em termos de género, na área das artes plásticas. A dinamização das actividades culturais nas demais províncias do país tem permitido  criar maior focos de promoção de acções artísticas e dar mais oportunidade as iniciativas individuais e colectivas da juventude, acrescentou Zinha.
Para a pintora, a abertura do mercado, a nível nacional é um passo decisivo no aumento do sector das artes, porque permite aos jovens terem mais oportunidades, assim como os permite demonstrar interesse pela preservação e valorização da identidade nacional.
“Porém, é preciso aumentar o número de bolsas de estudos para os jovens e instituições de ensino das artes plásticas”, acrescentou.
A formação, principalmente dos jovens talentos nacionais, é, defendeu Zinha, uma prioridade, para uma melhor preparação da nova geração de artistas plásticos e a promessa de trabalhos de melhor qualidade num  mercado em constante crescimento a nível nacional e também internacional.
Zinha nasceu no município da Caála, Huambo, e já participou em várias exposições colectivas em Angola. Em 2014 foi convidada a participar no projecto artístico mural do Rocha Pinto, onde apresentou vários trabalhos ligados à preservação da natureza.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA