Cultura

Crise embaraça festa das artes no Brasil

A nova edição do Festival Internacional das Artes da Língua Portuguesa (FESTLIP), que se realiza anualmente entre Julho e Agosto, no Rio de Janeiro, está na iminência de ser cancelada, afirmou ontem, ao Jornal de Angola, a directora artística.

Tânia Pires disse que a Talu Produções, realizadora do festival, que acontece na cidade do Rio de Janeiro há dez anos, informou que a iniciativa está na iminência de ser cancelado este ano “por falta de apoio e parceria”.
“A Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, que apoia o evento há oito anos, ignora as solicitações de reunião. Vale ressaltar que o FESTLIP alavanca o turismo e a economia cultural da nossa cidade, que é vitrina internacional, como grande difusor da cultura das artes da língua portuguesa e que tem o reconhecimento da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) como o evento de maior relevância de desenvolvimento para todos os países envolvidos", afirmou a directora da Talu Produções.
Tânia Pires disse que este ano o Brasil é o responsável pela cultura na CPLP e, infelizmente, lida com essa ambivalência. "Até agora, não contamos com nenhuma parceria da iniciativa privada ou estatal por meios de leis de incentivo que por tantos anos nos aportaram. Apesar da crise do nosso país, a produção do FESTLIP vai continuar a trabalhar e a unir esforços com incentivadores no intuito de não permitir que a cultura e a educação do nosso país sejam esvaziadas como vem ocorrendo". Tânia Pires aventou a a possibilidade da continuidade da edição 2017, que fica temporariamente adiada para o mês de Dezembro.

Tempo

Multimédia