Cristo pede projecto nacional

Manuel Albano |
11 de Maio, 2016

Fotografia: Kindala Manuel

O músico Cristo defendeu ontem, em Luanda, a criação urgente de uma fábrica de discos para dar aos artistas a possibilidade de gravar em Angola.

Em declarações ao Jornal de Angola, no final um espectáculo em que interpretou alguns temas inéditos do seu próximo CD “Palavras”, com destaque para “Não me culpe”, “Meu Bairro” e “Mulher”, o artista lembrou que as maiores produções angolanas têm sido concluídas no estrangeiro, devido à ausência no país de uma fábrica com a capacidade de masterizar e editar um disco com a qualidade desejada.
Este aspecto, recordou Cristo, tem ajudado a tornar o produto final mais caro, muitas das vezes sem haver o retorno do investimento aplicado na edição de uma obra discográfica. “Os músicos estão com muitas dificuldades em colocar um disco com qualidade no mercado, principalmente nesta fase em que o país vive um momento de crise financeira.
Com uma fábrica de disco no mercado tornaria a distribuição do disco mais barato e acessível ao consumidor final”, explicou. O músico reconhece os esforços que o Executivo e os empresários têm feito em prol do desenvolvimento das artes no país. “São investimentos caros e em que o retorno financeiro pode ser a longo prazo, e talvez seja por esta razão que muitos empresários ainda não despertaram para este mercado”, frisou.
Cristo aconselhou os artistas da nova geração a trabalharem com músicos consagrados, por reconhecer maturidade nestes. “Se queremos ajudar a promover os nossos ritmos, devemos trocar experiências com os mais antigos no mercado musical”, justificou.
O surgimento de novos espaços para a divulgação da música angolana vai ajudar os artistas a manterem-se no activo e dar oportunidade aos mais jovens, garantiu Cristo. 
“Quase sempre nos meus espectáculos incluir um convidado com uma carreira artística já consolidada no mercado, por forma a manter esta troca de experiência entre gerações”, acentuou Cristo.
O músico elogiou a abertura do Majocal Kapakassa, um novo espaço cultural que está a ajudar a promover a música em Luanda. O disco “Palavras”, produzido em Angola e Portugal, contém 13 faixas cantadas em português. A cantora Yola Semedo participa no tema “Não me culpes”. Livongue e Geovani também colaboraram nas gravações.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA