Cultura

Crítico de artes defende aposta na formação

O crítico de artes Adriano Mixinge defendeu quarta-feira, em Luanda, uma maior aposta na formação por parte dos escritores angolanos de forma a melhorar a concepção das obras.


Adriano Mixinge  fez estas considerações na habitual Maka à Quarta-feira, realizada na sede da União dos Escritores Angolanos (UEA), onde  reconheceu  que, “tal como a criatividade e a imaginação, os escritores devem ter auto domínio sobre a escrita que vão utilizar como instrumento de trabalho.”
O crítico pediu aos escritores para publicarem obras que sejam referência para a sociedade, contribuindo, desta forma, para a mudança de consciências e tragam  melhorias  e  bem-estar social.
O também escritor falou do poder da literatura na mudança de um país, daí a responsabilidade dos escritores na formação de uma sociedade mais equilibrada.  
Nesta edição da “Maka”  foi analisada a obra “O Ocaso dos Pirilampos” de Adriano Mixinge, seguindo-se a sessão de autógrafos.

Tempo

Multimédia