Cultura apoia a economia


9 de Outubro, 2014

Um estudo sobre a “Contribuição da cultura na economia cabo-verdiana” indica que o sector exporta cerca de sete milhões de euros por ano, divulgou o jornal “Expresso das Ilhas”.

Os dados indicam que a cultura emprega mais de 19 mil pessoas em Cabo Verde, o que representa mais de 10 por cento da força de trabalho do país, e dá emprego sazonal a cerca de 177 mil pessoas.
O ministro da Cultura de Cabo Verde, Mário Lúcio Sousa, disse, na apresentação do estudo na cidade da Praia, que os dados da exportação mostram que é preciso investir fortemente na cultura, porque o sector tem capacidade de gerar emprego e criar riqueza para o país. 
“Um dos objectivos do estudo era calcular o peso da cultura no Produto Interno Bruto (PIB), mas isso não foi possível, porque não temos uma conta satélite ainda junto do Instituto Nacional de Estatística (INE)”, realçou o titular da Cultura.  De acordo com Mário Lúcio Sousa, o estudo salienta as potencialidades do sector, mas também as suas fragilidades, entre as quais surge em primeiro plano a informalidade.
“A economia nacional tem 88 por cento de informalidade, mas a cultura tem uma média de 66 por cento e vamos melhorar, mas também aponta para a fragilidade, por exemplo, na recolha de dados junto do INE, do Banco de Cabo Verde e da Direcção-Geral das Alfândegas, para fornecemos os dados a essas instituições e recolhermos também os dados junto das outras instituições”, explicou.
Em relação às perdas por não cobrança dos direitos autorais, o ministro avançou que está a trabalhar com a Sociedade cabo-verdiana de Autores na criação de um núcleo de trabalho, dentro do seu Ministério, para ajudar a Sociedade.
“Acho que é necessário um impulso público e a apresentação das propostas das leis que faltam para serem apresentadas, porque precisamos urgentemente da capitação e distribuição dos direitos autorais”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA