Cultura e arte angolana em debate no Brasil

Roque Silva |
21 de Maio, 2016

Fotografia: José Soares

A cultura e arte angolana são um dos enfoques da terceira ediçãodo projecto “Semana d’África”, quese inicia hoje e termina no dia 29, em várias províncias do país e no Brasil, reunindo um conjunto de actividades culturais para saudar o 25 de Maio, Dia de África.

 

A “Semana d’África” abre, oficialmente, hoje, às 11h00, na Praça da Independência, em Luanda, com uma feira do livro e um concerto com os músicos Ndaka Yo Wini e Júlio Gil. O outro local de actividades,o Centro Cultural Brasil em Angola, acolhe, entre os dias 23 e25, jovens talentos da literatura que vão recitar poemas de escritores africanos e brasileiros.
O músico Júlio Gil realiza no mesmo dia, às 19h00, no Centro Cultural Português, um espectáculo com a participação de Kyaku Kyadaff e Paulo Matomina. A“Semana d’África”, uma iniciativa do movimento “Lev’Arte”, é realizada este ano em Florianópolis, no Brasil, sob o lema “Nos retratos de África encontramos a arte”. O núcleo do movimento “Lev’Arte”, em Florianópolis realiza no âmbito da efeméride recitais de poesia de autores angolanos, palestras sobre cultura africana e uma analise da vida e obra de artistas africanos, como Agostinho Neto, Mia Couto, Aimé Cesaire e Léopold Sédar Senghor. Além disso, estão também previstos espectáculos de música, dança e teatro, feiras de livro, exibição de filmes e exposição de artes  em várias cidades do país, como Luanda, Bengo, Benguela, Malanje, Lundas Norte e Sul, Namibe, Huambo, Huíla, Uíge, Cuanzas Norte e Sul, Cuando Cubango e Bié.
Entre as palestras destacam-se as sobre “Fenómenos em África”, “O desenvolvimento e a afirmação da independência de África” e “Desafios da cultura africana”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA