Cultura e Turismo assinam protocolo


10 de Maio, 2016

Fotografia: Mota Ambrósio

O protocolo assinado ontem entre os Ministérios da Cultura (Mincult) e o da Hotelaria e Turismo (Minhotur) vai ajudar na divulgação e expansão da cultura angolana, afirmou em Luanda a ministra da Cultura, Carolina Cerqueira.

A ministra fez esta afirmação à imprensa no final da assinatura do protocolo com o titular da Hotelaria e Turismo, Paulino Baptista.
Carolina Cerqueira salientou que o objectivo do diploma é promover atracções culturais que sejam apreciadas pelos turistas nacionais e estrangeiros, para melhor conhecerem a realidade e pontos culturais do país, bem como identificá-los e devidamente organizá-los para dar a conhecer o que o país tem de melhor.
A titular da Cultura afirmou que o intercâmbio surge para se interagir e criar um quadro jurídico de cooperação em vários domínios, como na divulgação dos valores culturais e a atracção turística.
Carolina Cerqueira referiu que este quadro jurídico vai traçar um intercâmbio de colaboração entre os dois sectores, por serem muito importantes do ponto de vista da divulgação e da expansão da cultura nacional.
Os pontos culturais e turísticos a serem criados nas várias zonas específicas, como portos e aeroportos, vão estar conjugados com atractivos culturais e turísticos de modo a que sejam do conhecimento dos visitantes, levando uma imagem bastante vasta do que é realmente Angola. O protocolo rubricado prevê a formação, para que se valorize os quadros nacionais, a introdução de novas técnicas para conhecimentos culturais e de turismo, bem como mostrar como é que estas duas áreas podem desenvolver-se através da dança, museus, carnaval, moda e culinária.
“Vamos trabalhar em conjunto na capacitação dos nossos quadros e na criação de um ambiente propício, para que possa resultar com sucesso”, disse Carolina Cerqueira.
O diploma assenta, entre outras, nas áreas da gastronomia, folclore, carnaval, espectáculos músico-culturais, dança variada, teatro, recital de poesia e poema, museus, artesanato, formação dos guias turísticos, moda, turismo cultural, eco-turismo, turismo religioso e férias. O protocolo tem a validade de dois anos, sendo automaticamente renovável por períodos iguais se nenhuma das partes o denunciar no prazo de antecedência de seis meses e durante este prazo de vigência podem ser introduzidas alterações ao protocolo, por acordo entre as partes.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA