Cultura ibérica em festival


7 de Março, 2015

Fotografia: Reuters

O festival “Iberian Suite: Arts Remix Across Continents”, a maior mostra de criação contemporânea ibérica, em Washington, decorre até ao próximo dia 24, no Kennedy Center.

A fadista Carminho, a companhia brasileira de dança Grupo Corpo, o saxofonista moçambicano Moreira Conguiça e a cantora mexicana Eugenia León protagonizaram, ontem, a cerimónia de abertura do festival.
A curadora de “Iberian Suite”, considerado a maior iniciativa de sempre dedicada à arte contemporânea portuguesa nos Estados Unidos, disse que a iniciativa, que contempla as culturas de Portugal e de Espanha, com participação de artistas da lusofonia e da América Latina, “mostra uma face dos países ibéricos para além da crise”.
Alicia Adams, informou que, nos últimos dois anos, visitou Lisboa e Porto, falou com agentes culturais, diplomatas, políticos e chegou a um extenso programa que mobiliza nomes como o fadista Camané, o artista urbano Alexandre Farto, conhecido como Vhils, a companhia de teatro Mundo Perfeito e o escritor Gonçalo M. Tavares.
“O único critério é a alta qualidade dos artistas, que têm de ter gabarito internacional”, explicou Alicia Adams.
O Kennedy Center espera que o festival mobilize entre 200 e 400 mil visitantes e espectadores, através de diversas plataformas online e acções de formação junto das escolas.
Da programação de teatro faz parte a interpretação do espectáculo “Ode Marítima”, de Álvaro de Campos-Fernando Pessoa, por Diogo Infante e João Gil, “Contos em Viagem-Cabo Verde”, pelo Teatro Meridional, “Três dedos abaixo do joelho” e “By Heart”, da companhia Mundo Perfeito, e “What I heard about the World”, pela Mala Voadora, com a companhia inglesa Third Angel.
Os arquitectos Eduardo Souto de Moura e Álvaro Siza Vieira são os autores da instalação “Jangada de Pedra”, patente em frente do Kennedy Center.
Estão previstos concertos de Carminho e Camané, acompanhados pela National Symphony Orchestra, assim como actuações de Rodrigo Leão, Sofia Ribeiro, Luísa Sobral, The Gift e António Zambu.
A actual Biblioteca do Congresso dos EUA acolhe a conferência de Richard Zenith sobre Fernando Pessoa (denominada “Um "inglesmente" português, poeta múltiplo sem fim”), que antecede a inauguração de uma exposição sobre o poeta.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA