Cultura nacional retratada em murais

Domingos dos Santos|
17 de Setembro, 2014

Fotografia: Paulino Damião

O realismo, impressionismo e expressionismo são as correntes artísticas dominantes nos murais de artes plásticas que estão ser pintados por 40 artistas nacionais, na Avenida 21 de Janeiro, em Luanda, no âmbito do Festival Nacional de Cultura (FENACULT).

Realizados no extenso muro que separa a faixa rodoviária principal da Avenida 21 de Janeiro e a via paralela, no sentido Rocha Pinto/Aeroporto, os murais retratam cenas do quotidiano, instrumentos musicais, utensílios domésticos, dança tradicional angolana, o mar, símbolos da República, figuras históricas e aspectos de ficção, nos quais o realismo, impressionismo e expressionismo são as correntes dominantes. 
“Há aqui uma série de variantes técnicas e de conteúdos diferenciados”, afirma o artista plástico Van, inspector técnico do mural.
No local, aberto ao público desde o início dos trabalhos, os visitantes podem observar “ao vivo” o processo de mistura de cores e pintura dos desenhos feitos na parede, onde a qualidade técnica das obras é um elemento que chama a atenção dos transeuntes.  Para Van, que também tem três murais pintados no local, esta “qualidade” deve-se à entrega dos artistas e é o prenúncio de uma escola de artes angolanas no domínio das artes plásticas.
“Nunca se viu tantos murais a serem pintados de uma só vez e com a qualidade que está a ser feito. Por isso, há aqui o indício de uma verdadeira escola de arte angolana”, disse o artista plástico, exortando os pesquisadores a deslocarem-se ao local para observarem com atenção “a linha estilística da arte angolana no domínio das artes plásticas”.
As pinturas são baseadas em maquetas e réplicas de pinturas apresentadas por diversos autores, membros da União Nacional dos Artistas Plásticos (UNAP) e da Brigada Jovem de Artes Plásticas, e aprovadas pelo Ministério da Cultura.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA