"Dança da Chuva" no auditório da UEA


25 de Março, 2016

Fotografia: Paulo Damião

O livro “A Dança da Chuva” , de Fragata de Morais, Menção Honrosa do Grande Prémio Sonangol de Literatura-2016, é lançado na próxima quarta-feira, às 18h00, no auditório da União dos Escritores Angolanos (UEA).

Na mesma ocasião, vai ser apresentado o livro “A Carta da Mbona”, vencedor do Grande Prémio Sonangol de Literatura-2016,  da autoria do moçambicano Suleimane Cassoma Abdulumaine “Peniwaku Sassa”.
Promovido pela Sonangol (Sociedade Angolana de Combustíveis), em parceria com a União dos Escritores Angolanos, o Grande prémio Sonangol de Literatura realiza-se bianualmente e é o maior prémio literário dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP). O prémio tem como objectivo valorizar e reconhecer a criatividade dos escritores dos PALOP e o seu galardão é de cinquenta mil dólares americanos.
Em declarações a rádio LAC, Fragata de Morais disse que “A dança das chuvas” é um título que foi buscar a uma parte do livro onde o personagem principal, que até é jornalista, que é uma pessoa bastante céptica tinha dificuldades em acreditar no passado, pouco conhecia os seus ancestrais e a partir daí desenvolve-se toda uma situação com um senhor que aparece de repente na sua vida e o arrasta exactamente por esses caminhos do irreal ou do aparentemente  irreal, do   maravilho, de vidas passadas e por aí a fora”.
O autor garante que perante esse quadro “cria-se uma situação onde esse jornalista, o Fernando, descobre os seus ancestrais numa grande chuvada, numa enorme carga de água que caí, onde as bátegas são bastantes grande e ele então acaba por ver dentro de cada gota dessa água começa a reconhecer um rosto. Primeiro reconheceu  que é a mãe, que é o pai, o avô e finalmente  descobre a sua ancestralidade, neste tipo de sonho onírico e então daí ser ‘A dança da chuva’”.
Fragata de Morais nasceu no Uíge em 1941. Tem vários livros publicados: “Como Iam as Velhas Saber” (Instituto Nacional do Livro e do Disco - INALD); “A Seiva” (INALD); “Inkuna Minha Terra” (União dos Escritores Angolanos - Menção Honrosa Prémio Sonangol de Literatura); “Jindunguices” (INALD - Prémio Literário Sagrada Esperança); “Momento de Ilusão” (Campo das Letras); “Amor de Perdição” (Chá de Caxinde); “Antologia   Panorâmica de Textos Dramáticos” (INALD); e “A Sonhar Se Fez Verdade” (INALD).

Estreia de Luísa Pereira

“Todos nós Fomos Distantes” é o título do livro de Luísa Gomes Pereira a ser lançado no próximo dia 31, na  União dos Escritores Angolanos, com apresentação de Pepetela. Nascida no Huambo, Luísa Gomes Pereira, 24 anos, estreia-se no mundo da literatura com uma obra em prosa.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA