Cultura

Associação procura talentos em Angola

César Esteves

Angola conta, desde Fevereiro, com uma representação da Associação B-Boy Girl África (BBA), versada na cultura e no desporto, cuja finalidade é descobrir talentos e desenvolver danças urbanas no continente africano, com destaque para o hip hop.

Cristiano Nlandu representa a instituição em Angola
Fotografia: Contreiras Pipa | Edições Novembro

A instituição no país é representada pelo bailarino Cristiano Nlandu, estudante do terceiro ano do curso superior de Relações Internacionais, responsável pela escolha do bailarino que vai representar o país, num concurso, em Dezembro, no Burkina Faso.
O embaixador da BBA no país disse, ao Jornal de Angola, que essa porta, que agora se abre, vai permitir ao país expandir a cultura junto de outros povos do continente.
Cristiano Nlandu ressaltou ser missão do BBA encontrar, em cada país em que está instalado, um bailarino competente e capaz de representar, condignamente, a terra natal numa competição que elege o melhor bailarino do continente africano.
O evento para eleger o melhor bailarino de África, edição  2019, realiza-se  em Dezembro próximo, no Burkina Faso. O casting para a escolha do representante angolano no certame realiza-se em Outubro,  em data e local a anunciar brevemente, pela B-Boy Girl África Angola, na página oficial do Facebook.
A organização privilegia o estilo breakdance, por ser a bandeira da instituição continental, de acordo com Cristiano Nlandu, que adiantou estar,  no momento, a bater portas de várias instituições no sentido de obter apoios financeiros, para suportar a deslocação do representante angolano e do embaixador da associação em Angola.
A instituição, disse, não garante as passagens aéreas,  apenas os gastos inerentes à permanência no Burkina Faso.

 

Tempo

Multimédia