Cultura

Defendida criação de fundo artístico

O dramaturgo Áurio Quicunga defendeu ontem, em Luanda, a necessidade de as empresas públicas e privadas criarem um fundo para apoiar as actividades artísticas, no âmbito das suas responsabilidades sociais.

Em declarações à Angop, a propósito do 27 de Março, Dia Internacional do Teatro, o actor disse que a criação do fundo por parte das empresas para apoiar a classe artística, contribui no crescimento da classe e ajuda a melhorar as obras.
“Se cada empresa, no âmbito das suas responsabilidades sociais e filantrópicas, apoiar a classe artística será uma mais-valia para os fazedores de arte, que poderão ver melhoradas e aumentada a produção de obras”, argumentou.
No  entender de  Áurio Quicunga, a Lei do Mecenato devia ser mais presente, no sentido de engrandecer a cultura nacional.
Ao falar sobre a actividade teatral no país, Áurio Quicunga apontou a carência de espaços para ensaios e exibições das peças, como a principal dificuldade dos grupos.
Essa situação, ressaltou, dificulta o desenvolvimento da classe e retira alguma qualidade das obras.
“É necessário se construir salas de teatro, com todas condições, em cada município de modo dar-se maior dinâmica a esse segmento artístico”, frisou Áurio Quicunga.
Apesar dessa situação, o actor reconheceu que o movimento teatral no país tem crescido, substancialmente, em todos os níveis.

SAPO Angola

Tempo

Multimédia