Domingos Nguizani defende formação

Manuel Albano |
29 de Abril, 2015

Fotografia: Santos Pedro

O professor de dança tradicional Domingos Nguizani disse, em Luanda, ser importante apostar na formação de técnicos especializados para permitir um estudo sistemático do património cultural oral, junto das populações.

O especialista, que dissertou numa palestra na Liga Africana, por ocasião do Dia Mundial da Dança, que se celebra hoje, felicitou os vários esforços desenvolvidos pelo Ministério da Cultura, no sentido de procurar responder às preocupações dos profissionais no que diz respeito a estudos, valorização e divulgação da dança tradicional angolana.
A preservação das danças tradicionais teêm sido factores motivacional e pesquisa para a juventude, inspirando-a a apresentar coreografias que enaltecem a cultural nacional.
Com a globalização, refere, as próximas gerações, correm o risco de não saberem preservar a sua cultura.
No domínio social, a dança mostra a maneira como adolescentes e jovens são preparados para o desafio da vida, tanto a nível individual, como do grupo, sendo as escolas tradicionais de Mukanda nas Lundas, Xikumbi em Cabinda, Efiko na Huíla, Efundula no Cunene, Bakama ou Zindunga (mascarado sagrados) de Tchizo em Cabinda e Komba di Toco em Luanda. Domingos Nguizani diz que é nesta diversidade cultural que a dança se associa à drama e os rituais, à música instrumental e cantante, a diversos artefactos proveniente do folclore local. No domínio espiritual, explica, a dança simboliza o elo de ligação entre os vivos e os mortos. Na transmissão de valores culturais, a tendência é buscar novas respostas, recorrendo ao mundo espiritual, onde há novas energias para os ciclos produtivos seguintes. Com o andar do tempo,  disse, algumas danças têm sofrido transformações, na forma prática, indumentária, coreografia, instrumentos usados e no conteúdo.
A dança tradicional é elemento privilegiado da identidade cultural, por ter vários traços como a motivação, histórico social, o canto, instrumentos tradicionais como o ngoma, chocalho, marimba, hungu, olombumba, cacoxi, xinguiri e pungui.
As culturas tradicionais constituem uma fonte preciosa para alimentar o patriotismo, a criação das obras de artes, enriquecer a identidade universal da humanidade, constituindo um factor essencial de harmonia e estabilidade social.
“A cultura tradicional, onde a dança está inserida, deve ser fortalecida e promovida, por constituir um refúgio, uma trincheira e retaguarda indispensável para a constituição da verdadeira identidade nacional e a cidadania”, disse Domingos Nguizani.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA