Espectáculos angolanos no Mindelact


16 de Setembro, 2016

Fotografia: DR

Os espectáculos de teatro “Roque Santeiro”, do Twana Teatro, e “As Vedetas”, do projecto Chindeca, representam o país na 22.ª edição do Festival Internacional de Teatro do Mindelo (Mindelact) que começa hoje na ilha cabo-verdiana de São Vicente, com espectáculos de companhias de sete países.

O grupo Twana Teatro leva à cena amanhã o espectáculo “Roque Santeiro”, adaptado do livro homónimo de Hendrick Vaal Neto, que traz ao espaço cénico um enfoque especial das histórias peculiares que ao longo dos anos marcaram a vida dos moradores do Sambizanga, clientes e vendedores do antigo mercado do Roque Santeiro, considerado na altura o maior de África.
O objectivo  do espectáculo, disse o encenador Victor Sampaio, é “levar o público a uma viagem pelo imaginário e criatividade dos vendedores, dispostos a tudo para ‘despacharem’ os seus produtos, ou a ingenuidade de muitos clientes enganados”.
O público cabo-verdiano vai ter a oportunidade de recrear com algumas histórias fictícias e outras reais, uma vez que o Roque Santeiro foi um mercado onde tudo era possível de acontecer. Com a exibição do espectáculo na edição 2016 do Mindelact, grupo procura chamar a atenção para a importância da boa convivência social.
Fundado em 28 de Fevereiro de 2002, por jovens do distrito do Sambizanga, o Twana Teatro teve a primeira aparição no dia 25 de Dezembro do mesmo ano, com a peça “A União faz a Força”. O grupo já apresentou vários espectáculos e participou em concursos e festivais, conquistando inúmeros prémios. Entre os seus espectáculos destacam-se “Luanda - A Casa dos Loucos”, “A Lanchonete da Esquina”, “Um dia como outro qualquer” e “O Abismo”.

As Vedetas

O projecto Chindeca apresenta terça e quarta-feira, no Mindelact, o espectáculo de teatro “As Vedetas”, uma adaptação e encenação de Flávio Ferrão, que tem como protagonista as actrizes Edusa Chindecasse e Vanda Pedro.
“As Vedetas”, uma adaptação do espectáculo homónimo do dramaturgo francês Lucien Ambert, já foi representado por companhias de teatro do Brasil e Portugal.
Adaptado à realidade social e cultural angolana, o espectáculo retrata as dificuldades de duas actrizes de teatro para arranjar trabalho e realizar os sonhos.
A peça tem a duração de 45 minutos e retrata as dificuldades de duas personagens que realizam os sonhos de vedetismo, de destrinçar o desejo da realidade até ao feroz instinto de competição.
Edusa Chindicasse tem participações em espectáculos de teatro em mais de 20 obras, nas quais se destacam “Sobreviver em Tarrafal”, “O desaire de Kabú”, “O amante”, “A rapariga da marginal”, pela companhia de artes Horizonte Nzinga Mbande.
Tal como a sua parceira Vanda Pedro, o seu percurso passa igualmente pela televisão na série Conversas no Quintal, na telenovela Windeeck e na recente telenovela de produção nacional “Jikulumesso”.
Ontem, o Centro Cultural Português (CCP) na Cidade da Praia volta a ser palco da extensão do Mindelact, com seis peças que integram o cartaz da edição 2016 do Festival Internacional de Teatro do Mindelo, que decorre a partir de hoje até ao próximo dia 24, em São Vicente.
 Em cena ontem estive o projecto Chindeca com a exibição da peça “As Vedetas”. Domingo,  a Companhia Djam projects, de Cabo Verde, exibe a peça “O corpo Beija-se na Sombra”, e quarta-feira é exibido o espectáculo “Príncipe Feliz” do português Paulo Lage. A programação prossegue no dia 27, com a peça “A canção do caminho velho”, pelo grupo Linea de Três (Argentina). Dia 29, “Red Chocolate”, com Enano Free Artist (Espanha). Finalmente, dia 2930, “As palavras de Jo”, pelo Grupo de Teatro CCP Mindelo (Cabo Verde).

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA