Festival da Cultura tem tudo preparado


29 de Agosto, 2014

Fotografia: Santos Pedro

A comissão executiva do Festival Nacional de Cultura (FENACULT) está a passar em revista todos os detalhes do espectáculo da cerimónia de abertura, que acontece amanhã, às 19h00, no Estádio Nacional 11 de Novembro, em Luanda.

No recinto, os mais de 600 figurantes estão a ensaiar os detalhes para que nada falhe no espectáculo, revendo toda a coreografia preparada para mostrar o valor da cultura angolana.
O espectáculo, que está a ser coordenado por Ana Clara Guerra Marques, conta com a participação de bailarinos, músicos e agentes culturais. “Todos estão a trabalhar afincadamente para termos uma máquina bem afinada e darmos ao público uma actuação única”, disse.
Com ensaios duas vezes por dia, Ana Clara Guerra Marques disse que tem procurado igualmente corrigir o que está mal, nada deixando ao acaso até mesmo os pequenos detalhes: “Nesta fase, a intenção é afinar os passos e acertar toda a coreografia montada, com uma vertente multimédia”, afirmou.
A ministra da Cultura, Rosa Cruz e Silva, também tem estado a acompanhar os ensaios.
Ontem, a ministra Rosa Cruz e Silva acompanhou o ensaio dos mais de 600 figurantes preparados para dar cor, alegria e imaginação. O FENACULT vai servir como ponto de promoção da coesão, unidade e da diversidade cultural de Angola, a preservação e divulgação da identidade nacional. Entre os  propósitos do festival constam uma análise sobre o estado actual do sector e a criação de mais oportunidades aos criadores angolanos.
A decorrer sob o lema “A cultura como factor de paz e desenvolvimento”, o Festival Nacional de Cultura conta com diversos espectáculos de música, dança e teatro, sessões cinematográficas, feiras de livros e de discos e exposições de artes plásticas.
Realizado para homenagear o Presidente José Eduardo dos Santos, pelo seu papel na defesa da angolanidade, empenho e dedicação em prol da valorização e desenvolvimento das artes e da cultura angolana, o FENACULT congrega também váras actividades, todas relacionadas com as artes angolanas, a sua promoção e difusão a nível nacional.
O festical serve igualmente para assinalar o 90º aniversário do nascimento do primeiro Presidente de Angola, António Agostinho Neto. O Executivo pretende, com o FENACULT, desenvolver também políticas culturais em interacção e articulação com o sector público e privado, divulgar e valorizar a arte, apostar mais no consumo e na valorização dos bens culturais nacionais, mediante a criação de redes culturais.

Canção do festival

Três músicos da cidade do Luena uniram-se para compor uma nova canção para saudar o FENACULT, na qual evidenciam a riqueza da cultura nacional.
A informação foi prestada pelo cantor General Michael. O projecto conta ainda com a participação dos artistas Madureira Francisco e DJ Alex.
General Michael explicou que a canção, “FENACULT’2014”, é cantada no estilo hip-hop. “É um estilo que está muito próximo da juventude, por isso o escolhemos para saúdar esta festa”, disse.
O cantor considera a criação da canção vai permitir, em especial os músicos do Moxico, mostrarem o seu talento e demonstrarem o seu interesse em vencer no mercado discográfico nacional. “Temos muitos talentos, mas o mercado musical nacional ainda está muito centrado em Luanda e os jovens promissores acabam por desistir. Acredito que o FENACULT vai ajudar a inverter um pouco o quadro”, explicou.
O outro membro do trio, Madureira Francisco, disse que o FENACULT é importante já que a maioria dos artistas, no anonimato e sem projecção, vai ter a oportunidade de interagir com os mais experientes.

Instrumentos tradicionais

A dança tradicional, espectáculos de instrumentos musicais tradicionais, de teatro e de vozes femininas são as principais atracções preparadas pela comissão organizadora do FENACULT na província do Moxico.
O espectáculo de dança folclórica, informou o director da Cultura, Noel João Manuel, vai estar a cargo de um grupo do município de Camanongue e acontece no Huambo, enquanto o de instrumentos tradicionais é feito pelo Kalofolofo, em Malanje.
O grupo de teatro Kissonde vai encarregar-se da parte da arte cénica, mas nos palcos de Benguela, e a cantora Nhakatolo vai ser a candidata da província no concurso vozes femininas, que tem lugar em Cabinda. 
O responsável da Cultura no Moxico apelou aos representantes da província para se preparem o máximo possível e representarem condignamente a região nos espaços culturais, onde foram convidados para mostrarem o seu talento em espectáculos.

Divulgação cultural


O director da Cultura no Cunene, Celestino Vicente, apelou, ontem, em Ondjiva, a todos os cidadãos da província para terem um maior envolvimento na divulgação desta edição do Festival Nacional da Cultura.
Celestino Vicente disse ainda à Angop que a população local desempenha um papel crucial na divulgação cultural, por ajudar a reunir um maior número possível de participantes.
A Cultura dispõe de muito material de propaganda e só com a envolvência dos cidadãos é que a informação vai chegar a todas as localidades.
“O Festival Nacional da Cultura representa uma oportunidade especial de dar outro dinamismo às artes e aos artistas locais, que vão ter a possibilidade de mostrar o seu potencial noutros palcos. Chegou numa boa altura, já que com a Paz a cultura angolana ganhou uma nova dimensão e abrangência”, precisou.

Pinturas rupestre

A Direcção da Cultura do Cuanza Sul promoveu, ontem, na cidade do Sumbe, uma palestra dirigida a funcionários público, agentes culturais e estudantes locais, sobre a importância das pinturas rupestres do Ebo.
A palestra serviu para explicar a importância das pinturas e a sua divulgação. O director da Cultura, Manuel Rosa da Silva, que foi o prelector, instou os participantes a conhecerem melhor o acervo cultural da região.
O Cuanza Sul, referiu, possui um acervo cultural muito rico, razão pela qual os professores e  estudantes devem conhecê-lo profundamente. Na província, acrescentou, estão classificadas  as pinturas rupestres de Ndalambiri. As grutas de Quizole, Lowango, Matimba e Kihonhuila ainda estão a ser estudadas.
“Devemos valorizar mais o património cultural para que as futuras gerações possam ter acesso à sua riqueza”, frisou o responsável. O mesmo adiantou ainda que deve existir uma maior divulgação do acervo cultural da província, através de visitas de estudos e guias especiais de turismo, que vão permitir aos convidados um maior conhecimento do património da região.
A palestra é realizada no âmbito do FENACULT, que decorre até ao dia 20 de Setembro e vai procurar dar mais evidência e destaque aos artistas nacionais e às suas produções.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA