Governo apela à investigação

Nicodemos Paulo | Uíge
12 de Janeiro, 2016

Fotografia: Eduardo Pedro

Uma maior investigação e acutilância dos artistas e agentes culturais com vista à promoção e divulgação das diferentes expressões culturais da região foi defendida, no domingo, no Uíge, pelo vice-governador para o Sector Económico.

 Carlos Mendes Samba referiu que  a província é rica em manifestações artísticas que devem suscitar a sensibilidade da nova geração. Falando por ocasião do Dia da Cultura Nacional, assinalado a 8 de Janeiro, Carlos Mendes Samba reconheceu que nos últimos anos tem surgido novos artistas na província, “isso leva-nos a crer que a região é fértil em produção artística”, um facto que disse merecer acompanhamento por parte da Direcção Provincial da Cultura.
O 8 de Janeiro é uma data para se analisar o estado actual da Cultura, visto que nos últimos anos o Executivo trabalha com os actores culturais, académicos e autoridades tradicionais, no sentido de valorizar, emancipar e desenvolver o sector, explicou Carlos Mendes Samba. “É necessário que as actividades culturais não sejam realizadas apenas por ocasião das efemérides, aliás, as administrações municipais devem criar espaços e programas para promoverem actividades culturais, ­incentivando todas as formas de criação artística. Isto dá maior alento à Cultura na província”.
A falta de quadros especializados tem sido um empecilho para o desenvolvimento da indústria cultural na província, reconheceu.
No ano passado, disse, alguns funcionários da Cultura e agentes culturais participaram em seminários de capacitação sobre pesquisa, conservação e divulgação de eventos culturais.
“A província carece de especialistas em antropologia, museologia, musicologia, e noutras áreas, e disse acreditar que, com esforços e boa vontade  podemos superar as nossas debilidades”.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA