Grupo Namacunde conquista o prémio

Domingos Calucipa | Ondjiva
10 de Fevereiro, 2016

O grupo folclórico Ovatekulo Vohamba, do município de Namacunde, arrebatou o primeiro lugar na categoria de adultos da edição 2016 do Carnaval, na província do Cunene, ao somar 414 pontos.

O segundo lugar ficou com o grupo carnavalesco Beta Ngó, da cidade de Ondjiva, com 406 pontos, enquanto o grupo Organizações Bolet Salú ocupou o terceiro, ao conseguir 401 pontos, numa edição pouco disputada a julgar pelas actuais dificuldades financeiras conjunturais, num desfile na qual participaram apenas dez grupos, sendo cinco de adultos e igual número de infantis.
Na classe infantil, sagrou-se vencedor, com 136 pontos, o grupo Candengues da Paz, do município de Ombadja, ao passo que em segundo e terceiro lugares ficaram os grupos Vermelho e Beta Ngó, com 133 e 132 pontos.
Os grupos, particularmente dos adultos, apostaram bastante nos aspectos culturais da região, que vão desde a indumentária e adornos, aos artefactos de caça e pastorícia, utensílios domésticos, assim como desfilaram com fortes mensagens de incentivo à diversificação da riqueza nacional, através da produção do campo principalmente, rumo ao combate à fome e pobreza.
Não obstante a crise económica e financeira que atinge o país, os valores dos prémios para as duas classes fixaram-se na mesma fasquia da edição anterior, sendo 700 mil kwanzas para o primeiro, 500 mil para o segundo e 350 mil para o terceiro lugar.
Na classe infantil o vencedor recebeu 500 mil kwanzas, o segundo 300 mil e o terceiro 200 mil. Há ainda a destacar os prémios de 50 mil kwanzas para a melhor rainha da classe de adultos e 30 mil para a da classe infantil.
Uma das notas positivas, ao contrário dos anos anteriores, foi a entrega dos prémios aos dignos vencedores no momento, logo após o anúncio dos resultados pelo júri. O presidente da mesa de júri, Angelino Serafim, reconheceu ter havido muitas dificuldades para encontrar o vencedor da classe de adultos, apesar de terem sido apenas cinco, porque houve uns que apostaram forte no modernismo e outros naquilo que é a ancestralidade cultural da região.
Francisco Bolet, responsável do grupo carnavalesco Organizações Bolet Salú, terceiro classificado, não se contentou com o lugar e questionou os critérios do júri porque apostou fortemente na indumentária, na dança, na canção e no rei e rainha, mas prometeu continuar a trabalhar e participar nas próximas edições.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA