Grupos dão prova de empenho e dedicação

Manuel Albano|
19 de Março, 2017

Os grupos carnavalescos deram um exemplo de dedicação e abnegação, mesmo em tempos de crise financeira, o que permitiu a realização de mais uma edição do Carnaval em toda a extensão do país, disse, sexta-feira em Luanda, o director Nacional de Acção Cultural, Carlos de Jesus Vieira Lopes.

O apoio dado às comissões preparatórias provinciais permitiu realizar mais uma edição do Carnaval, de forma exemplar. Em declarações ao Jornal de Angola, Carlos Vieira Lopes explicou que os grupos, de todas as categorias, devem trabalhar com antecedência, para se apresentarem de forma adequada no próximo ano.
Embora tenha reconhecido terem existido inúmeras dificuldades, referiu que foram criadas condições para auxiliar os grupos com tecidos e diversos adornos. Reconheceu esforços desenvolvidos pelas direcções dos grupos para se apresentarem ao melhor nível nos desfiles províncias. A transformação dos grupos em associações, por formas a estarem melhor preparados para os desafios posteriores, é umas das apostas dessas agremiações, por formas a garantir o funcionamento das suas estruturas. Acrescentou que os grupos precisam ter “vida própria”, e procurar adaptar-se ao contexto actual, firmando parcerias com instituições privadas ou públicas, e alcançar a independência financeira.
O Carnaval, recordou, tem a sua própria identidade e a sua marca, embora admita ser importante a implementação de algumas inovações por parte dos grupos carnavalescos, particularmente no domínio das danças e coreografias.
Na sua óptica, a promoção dos mais variados estilos de danças permite maior valorização na preservação dos hábitos e costumes. “Queremos incentivar a criatividade, sem perder em conta os factores que nos identificam”.
Criar condições técnicas para que os grupos possam voltar a interpretar as suas canções ao vivo é um dos desafios do Ministério da Cultura. “Isso irá permitir maior envolvimento de todos, tornando o Carnaval mais original e participativo”. Recentemente, o secretário de Estado da Cultura, João Constantino, aconselhou aos grupos que desceram de categoria, para a classe B, nomeadamente União Twabixila, União 17 de Setembro e União Povo da Samba, a redobrarem esforços e prepararem-se antecipadamente para uma participação condigna na edição de 2018.
Ao visitar os grupos dos municípios de Viana, Kilamba Kiaxi e do Distrito Urbano da Samba, para constatar a preparação do próximo Entrudo, incentivou as agremiações a trabalharem mais para regressarem ao convívio da classe A, Carnaval de Luanda.
A edição passada teve como vencedor da classe A o grupo União Mundo da Ilha, da Ingombota.

capa do dia

Get Adobe Flash player



ARTIGOS

MULTIMÉDIA