Regresso à tradição

Carlos Paulino | Menongue , Sérgio V. Dias | Cuito e Miguel Baú | Mbanza Congo
10 de Fevereiro, 2015

Fotografia: Paulino Damião

A sete dias do acto central, os grupos carnavalescos do Cuando Cubango, Bié e Zaire têm preparadas todas as condições para realizar um bom desfile competitivo, assente na tradição de cada região e na valorização e divulgação das danças locais.

No Cuando Cubango, 40 grupos de adultos e infantis dos municípios de Menongue, Cuchi, Cuito Cuanavale e Cuangar já estão inscritos para o desfile, que ocorre este ano no Largo 23de Março, no Menongue, informou a directora provincial da Cultura.
Carla Cativa disse ontem ao Jornal de Angola que já recebeu do Ministério da Cultura os tecidos para a indumentárias, assim como outros materiais para as alegorias. O material é distribuído aos grupos no dia 14.
A directora observou que no momento aguardam apenas as verbas para o prémio de participação e para os grupos carnavalescos vencedores e cobertura das despesas logísticas. Para a presente edição, anunciou Cativa, a organização pretende premiar também a melhor canção e rainha, no sentido de incentivar os grupos a trabalharem sobre estes dois aspectos.
A directora provincial da Cultura explicou que no desfile os grupos devem apresentar, no mínimo, 70 integrantes e condenou a prática de muitos grupos receberem a indumentária e no dia marcado não aparecerem para o acto central.
Carla Cativa lamentou o facto de os empresários da província não apoiarem os grupos nem a Direcção da Cultura, durante Carnaval, particularmente na melhoria dos prémios atribuídos aos vencedores. Em relação aos desfiles municipais, a directora disse estar céptica quanto à realização, “porque apesar da vontade dos grupos locais a maioria enfrenta dificuldades com a falta de apoio financeiro e a Direcção da Cultura não dispõe de verbas”.
A edição passada foi conquistada, na classe de adultos, pelo grupo “Faraó das Estrelas”, que recebeu 600 mil kwanzas, na segunda posição ficou o “Mivanje”, do Bairro Cunha, (400 mil kwanzas) e em terceiro o “BlocoVerde” (300 mil kwanzas).
Na classe infantil, venceu o “Triunfo do VIH/Sida”  (400 mil kwanzas), em segundo ficou os “Sobreviventes dos 14” (350 mil kwanzas) e em terceiro o “Muatchiavu” (300 mil kwanzas).

Favoritos deste ano


O responsável do “Faraó das Estrelas”, vencedor das últimas quatro edições na classe de adultos, disse que os seus 141 membros estão a afinar a máquina para conquistar o título e têm realizado ensaios todos os dias.
 Joaquim Fernando considerou fundamental a Comissão Organizadora aumentar o valor do prémio, porque o actual não cobre as despesas na compra da indumentária ou com a logística.
O responsável do “União Estrela da Paz”, Francisco de Paiva, disse que os 180 membros do grupo estão a trabalhar para repetir a proeza alcançada em 2009 e este ano querem homenagear o antigo rei do grupo, Yuri Jamba, falecido por doença em Setembro de 2013.
“Foi devido a esta infelicidade que o grupo não participou na edição passada. A maior parte dos integrantes estavam abalados pela perda de Yuri Jamba, um dos membros fundadores que não olhava a meios para que fossemos um dos melhores da província”, explicou.

Representante no Cuito

O “Unidos do Quito”, nas classes de adultos e infantis, foi eleito, sábado, o vencedor do desfile municipal do Carnaval no Cuito, capital da província do Bié. Na classe de adultos, o grupo obteve 89 pontos, enquanto em infantis conquistou 252 pontos, num concurso muito disputado por 23 grupos, dez na classe de adultos e 12 em infantis.
O segundo classificado na classe de adultos foi o “Mulheres Emancipadas”, que obteve 179 pontos. Em infantis foi o “Comandante Kussuma”, da comuna do Cunje (169 pontos).
Para esta edição do Carnaval cada uma das administrações municipais do Bié recebeu cinco milhões de kwanzas. O acto provincial do Carnaval tem como palco a Praça da Solidariedade, na cidade do Cuito.
A Comissão Organizadora do Carnaval já definiu as áreas estratégicas de concentração e movimentação dos grupos. Em 2014, foram vencedores do Carnaval os grupos “Centro Geodésico de Angola”, de Camacupa, em adultos, e “Pioneiro Ngangula”, do Cuemba, em infantis.

Ainda falta apoio

Na Província do Zaire, os grupos inscritos para o desfile deste ano pedem apoios financeiros. Eduardo Masidivinga, responsável do “Sagrada Esperança”, vencedor da edição passada na classe de adultos, disse ao Jornal de Angola que um dos principais problemas nos preparativos é a falta de fundos.
“Precisamos de dinheiro para comprar vestuário e fazer a manutenção adequada dos instrumentos musicais. Até ao momento não recebemos nada”, lastimou Masidivinga.
Para colmatar algumas dificuldades, o grupo carnavalesco pediu apoio aos filiados, que contribuíram com valores monetários usados na aquisição de batuques, parte do vestuário e outros materiais.
O grupo quer mostrar este ano o resgate da tradição bacongo. “Apesar dos atrasos nos apoios, temos trabalhado afincadamente para reconquistar o título e acreditamos que a Direcção da Cultura entrega o material a tempo”, disse.
O “Sagrada Esperança” conquistou quatro títulos, em 2000, 2001, 2012 e 2014. Outro grupo concorrente é “Bacongo”, da classe infantil, que participa pela primeira vez.
Manuel Fabião, responsável do grupo, disse que a meta traçada passa pela conquista do primeiro lugar.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA