Talento Infantil no Carnaval

Manuel Albano |
7 de Fevereiro, 2016

Fotografia: Eduardo Pedro

O semba e a kazukuta foram os estilos dominantes, ontem, no Carnaval de Luanda, quando os cassules desceram à Marginal da Praia do Bispo, para mostrarem o seu talento, à base de coreografias combinadas na cadência dos ritmos tradicionais.

Com equilíbrio entre os grupos, numa tarde amena com a temperatura baixa, os grupos deram o seu melhor, procurando realçar, nas letras, a identidade nacional, assim como algumas figuras e instituições históricas da cidade. A educação, a saúde e o saneamento básico, particularmente nos musseques, também foram destacados no enredo dos grupos da classe infantil.
Os Cassules do Kazukuta do Sambizanga, o primeiro a desfilar, mostrou toda a sua ginga. Com o lema “Kazukuta unidos venceremos”, o grupo escolheu a educação como forma de incentivar as crianças aos estudos. Outra preocupação apresentada foi a questão da sinistralidade nas ruas de Luanda. Com 230 crianças, entre Rei, Rainha, comandante e bailarinos, o grupo apresentou uma coreografia à base da kazukuta.
Os Cassules do 54, o segundo grupo a desfilar, apresentou como tema “O saneamento básico”. O grupo elegeu os progressos que se têm registado no fornecimento de energia e abastecimento de água na cidade. O objectivo, disse o seu comandante Hamilton Manuel, é ficar entre os três primeiros.
Com o estilo semba, o grupo vencedor da edição passada, o Cassules do Sagrada Esperança, do Rangel, apresentaram uma coreografia com enfoque nos museus de Luanda e destaque de algumas figuras históricas do nacionalismo angolano, como o primeiro Presidente da República, António Agostinho Neto.
A luta e os sacrifícios da mulher zungueira para educar os seus filhos foi o tema escolhido pelos Cassules do Mundo da Ilha para esta edição. O vogal de direcção do grupo, Armando Pascoal, disse que o tema é uma homenagem a todas as mulheres angolanas.
Um dos constrangimentos foi a desistência dos Cassules do Hoji ya Henda, por motivos financeiros. Por esse facto, apenas o Viveiros do Njinga a Mbande do Icolo e Bengo apresentou o estilo cabecinha.
Além destes grupos actuaram ainda os Cassules do Jiza, dos Jovens da Cacimba, do 10 de Dezembro, do Café de Angola, do Twafundumuka, do Amazonas do Prenda, do Geração Sagrada e os Candengues do Cacuaco.

Desfile da classe B


O dia de hoje está reservado para os desfiles dos grupos da classe B, que vão procurar dar o melhor para procurarem um lugar no acto central de 2017. Entre os candidatos ao título deste ano constam os grupos União 54, Kabocomeu, Etu Mudietu, Angola Independente, Jovens do Mukuaxi, Twafundumuka, Twabixila, Domant, Geração Sagrada, Kilamba Kiaxi, Recreativo do Kilamba, Juventude do Kapalanga, Kwanza e Juventude do Kilamba Kiaxi.
Uma das ausências lamentáveis desta edição, por motivos financeiros, é a dos grupos União Dimba dya Ngola, do Sambizanga, e o Tonesa, do Cazenga.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA